“A lama da Vale que escorre por cima de nós é muito emblemática. Porque nós estamos ficando sob a lama em várias dimensões da sociedade”. A reflexão é da cantora mineira Titane, que apresenta nesta quinta-feira (21), junto com o pianista Túlio Mourão, o espetáculo “Paixão e Fé”. O show-manifesto sobre os impactos ambientais e humanos da mineração em Minas Gerais acontece no Teatro Francisco Nunes e reúne convidados de diferentes gerações.

A apresentação tem participações de Flávio Venturini, Aline Calixto, Pereira da Viola, Luiz Gabriel Lopes, Mariana Cavanellas, Emílio Dragão e Renato Saldanha. Entrecortam o repertório, que inclui canções icônicas da música mineira, alas de atingidos por barragens, ativistas e ambientalistas, que expõem a situação crítica do Estado, escancarada pela tragédia da Vale em Brumadinho. 

“Num primeiro momento, serão apresentadas informações sucintas e atualizadas da situação do Estado com relação à mineração”, explica Titane”. Depois, entra um roteiro de músicas e poemas intercalados por depoimentos de pessoas vindas de Conceição do Mato Dentro, Mariana, Belisário de Muriaé, Caldas e Casa Branca”, diz.

Titane conta que o show surgiu com o disco homônimo do duo, gravado em 2016, em Congonhas. “Fui fazer um show em Congonhas e acabei ficando a par da situação da mineração na cidade. Contando ao diretor do museu, Sérgio Rodrigo, que estávamos fazendo um disco com canções emblemáticas da música mineira, ele nos convidou para gravar o álbum lá”, relembra. “Levamos os equipamentos e gravamos o disco em um cômodo da Romaria. Então, ficamos sabendo ainda mais sobre a relação da cidade com a mineração e dos riscos que isso impõe à população”. 

A partir dali, o show ganhou novos contornos, incorporando poemas de Carlos Drummond de Andrade e criando pontes com entidades ambientalistas. “Circulamos por muitas cidades com mineradoras no ano passado. O plano de fazer o show em BH já existia, mas foi adiantado pela urgência que estamos vivendo depois do rompimento dessa segunda barragem”, diz Titane.

Para a cantora, a tragédia em Brumadinho fez com que “Paixão e Fé” ganhasse ainda mais contundência. “Estamos mais seguros do que estamos falando, entendendo a gravidade da situação, sabendo mais que nunca que estamos vivendo cercados de bombas-relógio”, afirma, lembrando que os convidados partilham da preocupação com os impactos nefastos da mineração em Minas. “São músicos com quem temos relação e que, de alguma maneira, têm sua obra afetada por essa realidade cruel. Acredito que até o final do ano nós vamos engrossar nossas fileiras e fazer manifestações ainda maiores. Porque o monstro que queremos derrubar é muito grande, mas não é invencível”, finaliza.

Serviço: “Paixão e Fé – Manifesto”, com Titane, Túlio Mourão e convidados. Nesta quinta-feira (14), às 20h, no Teatro Francisco Nunes (Av. Afonso Pena, s/n – Centro). A entrada é gratuita.