“A religião é um tema sensível para todo mundo, mesmo para aqueles que não têm nenhuma. Por isso, para nós sempre foi uma questão definir como tratar disso de uma maneira respeitosa, mas sem perder esse tom da crítica”, diz o ator David Maurity. 

Desta forma, longe de se apresentar como uma afronta, que o coletivo Toda Deseo estreia hoje o espetáculo “Glória”. Lançando um olhar crítico sobre como a Igreja fomenta e perpetua preconceitos contra LGBTs, o coletivo se posiciona em um momento-chave do país, que presenciou a força da influência das religiões nas eleições presidenciais. 

“Cravamos o pé no chão e entendemos a necessidade e a coragem de levantar um tema como esse, de criticar esse lugar da Igreja punitiva, da Igreja com partido”, explica o ator. “É para ser uma crítica contundente sobre como essas instituições religiosas, principalmente as Igrejas Católica e Evangélica, são reprodutoras de opressões”, sublinha. 

Ainda que o tema seja delicado, o diretor do espetáculo, Rafael Lucas Bacelar, reitera a importância da discussão levantada pela montagem. “Nós, que somos LGBTs, sempre fomos obrigados a pensar e a viver na própria carne essa questão. A religião é um assunto que nos afeta profundamente, porque é nítida a influência que as igrejas exercem, principalmente agora, um poder não só social, mas econômico e político”, diz. 

Trilogia

Com “Glória”, o coletivo Toda Deseo dá sequência a “Trilogia do Desmanche”, projeto que discute a influência de instituições no fomento e na perpetuação de preconceitos contra sexualidades e identidades de gênero não normativas. 

A empreitada teve início em 2016, com o espetáculo “Nossa Senhora (do Horto)”, que ocupou as ruas da capital como uma procissão. “Na peça falávamos sobre a família, criticávamos a tradicional família mineira e, dentro disso, toda a aura da religião estava muito presente. Foi assim que decidimos transformar nossas próximas peças em uma trilogia”, conta Maurity. A “Trilogia do Desmonte” se encerra com o espetáculo infantil “Biba”, que trata das opressões a LGBTs em ambiente escolar. 

Como é de praxe do coletivo – que já levou para ruas projetos como a Gaymada e os espetáculos “Soy Maricon” e o próprio “Nossa Senhora (do Horto)” – o Toda Deseo experimenta mais uma vez uma nova linguagem. “Vai ser a primeira experimentação real em um palco (do Galpão Cine Horto) e, como a linguagem da igreja é uma linguagem espinhosa, deu vontade de levar os atores para um teatro. Ocupar esses espaços é uma escolha também política”, pontua o diretor. “O ‘Nossa Senhora’ era uma peça de difícil circulação, então essa escolha também leva em conta a logística”, afirma. 

Serviço: Temporada de estreia do espetáculo “Glória”, de hoje a 23 de dezembro (sexta e sábado às 21h e domingo, às 20h) no Galpão Cine Horto (rua Pitangui, 3613 – Horto). Ingressos: R$ 20 (inteira) e R$ 10 (meia)