Na próxima terça-feira (8), feriado municipal de Belo Horizonte, cerca de 20 mil pessoas devem seguir para a Esplanada do Mineirão para conferir shows de Caetano Veloso, Jota Quest e Criolo, com participações de Milton Nascimento, Tulipa Ruiz e Emicida. Trata-se do “#SouMinasGerais”, grande evento beneficente que terá toda a renda revertida para as vítimas da tragédia em Mariana.

A iniciativa é, claro, digna de aplausos, mas estes devem ser direcionados não apenas aos artistas, e sim também aos que se desdobram para fazer os eventos beneficentes acontecerem. Nas duas últimas semanas, os produtores das três atrações principais e os funcionários da Macaco Preto, produtora do evento, têm cortado um dobrado para conseguir colocar em pé um projeto deste porte em tão pouco tempo.

Para se ter uma ideia, o show envolve o trabalho de cerca de 500 pessoas. “Já começamos com todos os prazos de documentação estourados. Mas tivemos auxílio da Fundação Municipal de Cultura, que escreveu uma carta de apoio ao evento. Assim, conseguimos agilizar todas as autorizações”, conta Carolina del Amar, sócia-diretora da Macaco Prego.

 

 

 

Ela conta que, depois que a produção de Criolo ligou sugerindo a ideia de fazer o evento, preferiu cancelar o show que faria este mês com Lenine para se dedicar plenamente ao “#SouMinasGerais”. A empresa deixou, pois, de fazer um evento que garantiria a entrada de dinheiro em dezembro para esse trabalho de viés voluntário.

A dedicação tem que ser grande. Para conseguir parcerias com fornecedores, muitos telefonemas foram dados. “Fiz uma carta e mandei a todos fornecedores que nos atenderam durante o ano. A maioria se prontificou. Quem não pôde fazer de graça, cobrou apenas a mão de obra”, diz Carolina, lembrando que há setores em que não é possível cortar todos os custos, como a segurança, por exemplo.

Grandes empresas também toparam participar da empreitada. A Gol, por exemplo, garantiu a gratuidade das viagens dos artistas e de suas equipes.
 
Vida própria
 
A ideia do “#Sou Minas Gerais” começou com Criolo e sua produtora, Biba Berjeaut. Foi ela quem fez a ponte entre todas as produções envolvidas no projeto. “A ideia inicial era não ser um evento tão grande, mas, depois de criado, ele ganhou vida própria. Meu foco principal tem sido o trabalho que acontecerá pós-evento. A ideia de que o #SouMinasGerais não acabe junto com o show do dia 8 ganhou força e terá uma continuidade linda”, garante Biba, acrescentando que uma equipe de produtores já está organizando uma edição paulista do “#SouMinasGerais” para este mês.
 
Imperdível
 
Ao receber o convite de Paula Lavigne, empresária de Caetano Veloso, Helber Oliveira, produtor do Jota Quest, topou na hora a participação da banda, mas, sim, ficou preocupado com a proximidade da data. Especialmente porque o grupo está bem atarefado por conta do lançamento do CD “Pancadélico”, que acaba de chegar às lojas.

Mas não demorou nada para que ele percebesse a importância do projeto. “Que galera eficiente, criando uma simbiose entre todos que está impressionante! Estamos recrutando vários fornecedores e todos respondendo na hora, em todos os segmentos! Som, luz, transporte, alimentação etc”, conta Helber, dizendo que nunca viu um clima de trabalho tão agradável. “Acho que será um movimento histórico e inesquecível”, prevê.

Serviço

O show acontece nesta terça, dia 8, das 14 às 22h, na Esplanada do Mineirão. Ingressos a R$ 50. A classificação etária é 18 anos. Todo o dinheiro arrecado será administrado pela empresa Sitawi (sitawi.net).