“Saia do carro”, diz a voz de um alguém, cuja identidade, em muitos casos, nunca saberemos. A ação dura alguns minutos – o bastante para ser assustadora. “É uma adrenalina. A gente sente um monte de coisa ao mesmo tempo, porque o cara está com uma arma apontada na sua cara e com o dedo no gatilho”, relata o mineiro Luiz Paulo Vinagre Lima, 28 anos, ao Hoje em Dia.

Conhecido como Zé Mauro, ele é vocalista e guitarrista das bandas Chama o Síndico e Zevinipim e um entre tantas vítimas de assalto no Brasil. A cantora Maria Gadú também entrou, quatro dias depois de Zé Mauro, para a mesma estatística. Em comum, os dois têm o fato de terem tido os seus instrumentos musicais roubados. Além do trauma, para muitos resta uma dúvida de arrancar o sono: como continuar “o show” sem as principais ferramentas de trabalho?
 

Prejuízo

Zé Mauro voltava de um ensaio e encontrava-se sozinho, dirigindo um Honda CR-V, na madrugada do dia 20 de outubro, na avenida Bandeirantes. O sinal se abriu, mas ele foi obrigado a parar. O carro à sua frente não andava e, de repente, dois indivíduos desceram – um sacou uma arma e mandou o músico largar o seu carro. “Não pensei em reagir. Quando vi a arma, parei e saí. Levaram tudo; o meu material de trabalho e até os meus chinelos”, lamenta o guitarrista.

No veículo estavam, entre outros objetos, uma guitarra, um amplificador e uma pedaleira de Zé Mauro. O contrabaixo e o amplificador do parceiro de palco do músico, Vinícius Ribeiro, também foram levados. O valor do prejuízo? Em torno de R$ 15 mil para Zé Mauro e R$ 5 mil para Vini.

Sem Pistas

Um boletim de ocorrência foi registrado e o caso é investigado pela Polícia Civil, que informou que dois suspeitos foram presos em flagrante. No entanto, até o momento, não há pistas sobre os instrumentos. Apenas o veículo foi encontrado e, mesmo assim, batido. “Eu toco, no mínimo, uma vez na semana. Cheguei a pedir equipamentos emprestados para amigos, mas vi que ficar nesta seria inviável”, diz o músico.

A expectativa, agora, é conseguir arrecadar fundos e comprar o material novamente com a renda de um evento que o músico e os seus amigos preparam para este fim de ano.

Maria Gadú é rendida

Pelas redes sociais foi relatado que Maria Gadú e a sua banda foram rendidos por homens armados que levaram todos os instrumentos e equipamentos de som. Eles estavam a caminho do ensaio para um programa de TV, na noite do dia 24 de outubro, no bairro Santa Teresa, no Rio de Janeiro. Os músicos, no entanto, tiveram mais “sorte” (se é que é possível usar essa palavra) que os mineiros. Menos de 24 horas após o assalto, os equipamentos roubados foram encontrados.
 

Objetivo era instrumento

Uma das razões que colocam os músicos ainda mais expostos às ações dos bandidos é o horário de trabalho. A maioria das apresentações são realizadas à noite. No caso da cantora Lu Bekerman, 31 anos, outro fator pode ter contribuído para o crime: ela tocava frequentemente no mesmo bar. “A gente sempre ia para lá no domingo e eu sempre postava isto nas redes sociais”, diz ela.

O assalto ocorreu na noite do dia 25 de outubro, no bairro Palmeiras, ao lado do local em que Lu e seu parceiro de profissão, o violonista Mestiço, haviam feito um show. “Depois que guardamos tudo dentro do carro, chegaram seis rapazes e um deles apontou a arma para mim. Dois deles foram para cima do Mestiço. Depois, mandaram a gente andar em direção contrária ao bar”, relata.

Entre os materiais roubados, estão duas caixas de som, duas mesas de som, uma potência, quatro microfones, um pandeiro e pedestais. O material tem valor estimado em R$ 5 mil. Parte do bando fugiu no veículo que estava com Lu. Horas depois, o carro foi encontrado. Para a cantora, ficou claro que os assaltantes sabiam que ela carregava um alto valor em bens. “Não mexeram em nada do carro. Ele foi achado funcionando normalmente e até com gasolina. O objetivo deles era, sim, o meu material de trabalho”, reforça.

Ela conta que a perda tem dificultado de prosseguir trabalhando. “Amigos me ofereceram equipamentos emprestados, mas só quando estivessem disponíveis. Pensei em alugá-los também, mas isto gastaria metade do meu cachê”, afirma.

A solução encontrada foi a mesma que a de Zé Mauro. Lu Bekerman fará um evento para arrecadar o montante necessário para adquirir outros equipamentos. O Gilboa (rua Pium-Í, 772, Carmo) cedeu o espaço para que um show seja feito no próximo domingo, dia 15, a partir das 17h, com a participação especial do cantor Sérgio Pererê.

Carro foi achado vazio

Quatro policiais militares foram ao encontro de Lu e Mestiço no dia do crime. Um militar conseguiu rastrear o celular da cantora, que estava no carro e, assim, foi possível saber também a localização dos suspeitos. Contudo, quando a PM chegou ao local indicado pelo GPS, o carro já havia sido abandonado e ninguém foi preso.

Procurada pela reportagem, em nota, a assessoria de Comunicação Organizacional da PM disse que: “Assim que o ocorrido foi comunicado pela vítima à 10ª Companhia de Polícia Militar, foram desencadeadas operações, com o intuito de localizar e prender os autores e localizar o veículo, entretanto, eles não foram localizados até o momento. Os objetos que se encontravam dentro do veículo, como aparelhagem de som para show, também não foram localizados até o momento. Contudo, a PMMG está monitorando as ocorrências, para verificar se há objetos semelhantes sendo comercializados no local, por receptadores e, desse modo, chegar aos suspeitos”. O assalto está sendo apurado pela Polícia Civil

Final feliz

O músico Luiz Gabriel Lopes, 29 anos, foi outro que acabou perdendo parte de seus instrumentos de trabalho. No caso dele, no entanto, não foi devido a um roubo. Em 13 de setembro, o artista esqueceu uma guitarra e uma mala verde com equipamentos no bagageiro de um táxi, após se apresentar com o Graveola e o Lixo Polifônico, na Virada Cultural, em BH.

Depois de uma grande mobilização pela internet, Luiz Gabriel conseguiu recuperar o material.

O taxista que o atendeu na mencionada noite o encontrou pessoalmente para devolver os objetos. “Ele me devolveu tudo, ‘tô’ feliz ‘pacaralho’, surpreendido com a mobilização muito bonita e a energia de todo mundo (sic)”, disse o músico em seu Facebook.

E MAIS

Bel Marques já foi vítima

O cantor Bell Marques, ex-vocalista do Chiclete com Banana, teve os instrumentos roubados enquanto os mesmos eram transportados em um caminhão, em 2011. O motorista do veículo foi rendido pelos suspeitos que levaram parte do material. Na época, o músico fez uma campanha com a hashtag #devolvamaguitarradebell, no Twitter. “Seu ladrão por favor devolva minha guitarra PRS amarela, estou inconsolável com a perda. Era a minha guitarra de estimação”, disse Bell Marques. Dias depois, o material foi achado em um posto de combustível, em Messias (AL), na BR-101 – a mesma rodovia em que o assalto ocorreu.

Patti Smith recupera itens 36 anos depois

Recentemente, o “Chicago Tribune” noticiou que a cantora Patti Smith recuperou alguns itens que haviam sido roubados há 36 anos. Segundo a publicação, os itens teriam sido levados em junho de 1979, quando um caminhão transportava US$ 40.000 em amplificadores, guitarras e outros equipamentos musicais. A cantora estava na Universidade Dominicana, quando uma mulher na plateia se levantou e entregou-lhe um saco plástico. Entre os itens devolvidos, está uma camisa que Smith usou para as fotos da capa da revista “Rolling Stone”, em 1978. Contudo, o que deixou a cantora emocionada foi recuperar as roupas do seu falecido irmão Todd Smith.
 

Assaltante abençoa as vítimas

Um caso, no mínimo, inusitado foi veiculado pelo portal “Banda B”. Segundo o site, a residência de uma família foi alvo de bandidos em Curitiba, em agosto. Entre os itens levados, estavam um trombone e um bombardão. Semanas depois, a família foi surpreendida pela visita de um homem, que teria dito: “Olha, irmão, o instrumento ‘tá’ aqui do lado. Que Deus te abençoe”. O homem deixou, ainda, uma Bíblia que havia sido roubada. “Eu e meu tio, que tocamos juntos na Congregação Cristã no Brasil e fazemos parte da banda da igreja, não tínhamos mais esperanças. Dá para dizer que foi um milagre”, afirmou uma das vítimas ao portal.