Morto em 2009, Michael Jackson não perdeu a majestade: ele ainda detém o título de "rei do pop", com seu trabalho sendo reverenciado por nomes como Marcos Tadeu Oliveira Sousa, mineiro de 22 anos que vem seguindo - literalmente - os passos do astro.

Conhecido como Mark Jam, o dançarino é um dos principais covers de Jackson no país, já tendo realizado shows e apresentações na TV. No último mês, ele encarou um de seus maiores desafios: reproduzir a coreografia de "Dangerous".

"A coreografia desta música é uma das mais complexas de Michael. Tanto é assim que nos vídeos dele, nenhum dos dançarinos que o acompanha consegue reproduzir fielmente o que ele faz nos palco", destaca Mark Jam.

O mineiro realizou um videoclipe a partir da música, gravada numa casa de festas na região da Pampulha, em Belo Horizonte. Disponibilizado no YouTube, já conta com mais de 17 mil visualizações.

"Foi muito trabalhoso porque, no meu caso, além de dançar por mais de quatro horas, tive que chegar antes para fazer a minha maquiagem, que leva cerca de duas horas para ficar pronta", registra Mark, que é fã do artista americano desde os 5 anos.

O vídeo foi lançado em 29 de abril, data em que se comemora o Dia Internacional da Dança, e a recepção tem sido muito positiva. "Por ser uma das coreografias mais difíceis de Michael, o pessoal tem ficado surpreso".

Ele destaca que Jackson sempre buscava reproduzir nos shows as "mágicas" feitas nos videoclipes, mas no caso de "Dangerous" o único material gravado foi uma apresentação ao vivo da música.

"Fiz o contrário do que Michael fez neste caso, criando uma historinha antes de se iniciar a dança em si. A música fala de uma garota perigosa, em quem não podemos confiar, e o vídeo trabalha um pouco isso", salienta.

Apaixonado pelo ídolo, Jam define a dança de Jackson como "surreal" e revolucionário. "Quando se vê o artista no palco, as pessoas ficam muito impactadas pela dança, esquecendo-se que ele também era um cantor fenomenal", analisa.

Confira o vídeo: