Uma correspondência em tempos de distanciamento. Por mensagens de voz e uma ligação, foi tomando forma o samba “É urgente imaginar”, composto por Aloízio Horta, Natália Menhem e Vini Ribeiro, a primeira canção gravada pelo uni.versos trio, feita na pandemia. 

A música chega ao mundo na voz de Manu Dias, com violão de Thiago Delegado, percussão de Débora Costa, clarinete de Sérgio Danilo, baixo e arranjos de Aloízio Horta com arranjos de Vini Ribeiro. Será lançada amanhã em todas as plataformas digitais, distribuída pela Quae.

“A Natália (Menhem) trouxe o início da melodia e da letra, eu desenvolvi e em um certo ponto fiquei sem saber por onde ir na composição. Mandamos para o Vini (Ribeiro), que na hora respondeu com uma frase para a melodia, resolvendo a música”, diz Aloízio Horta, instrumentista, compositor e um dos integrantes do trio de composições uni.versos trio. 

Nas palavras de Vini Ribeiro, “a música aconteceu como um diálogo, os diálogos possíveis em tempos de distanciamento social. Eu recebi um chamado e estava aberto, aquilo me tocou, respondi na hora”, salienta.

A canção tomou forma entre junho e julho de 2020, com reflexões sobre os sentimentos de um momento único em nossa história. Afirmando o medo e a angústia de se viver em meio à pandemia do novo coronavírus, em um país em que o combate ao vírus não apresenta rumos definidos, a canção busca evocar o poder da imaginação para tecermos outras realidades possíveis.

“Acredito que os momentos de maior desespero são os momentos em que precisamos mais ainda apostar em nossa imaginação coletiva. Passei por um extenso processo de estafa ao longo de 2020, e ouvindo a música hoje, vejo que escrevi alguns versos pra mim mesma”, diz Natália Para ela, é um samba de esperança, que traz força para continuarmos imaginando novas formas de estar no mundo.