Valores de Minas apresenta o 10º espetáculo que vai além das fronteiras

Bruno Moreno - Hoje em Dia
15/12/2014 às 07:54.
Atualizado em 18/11/2021 às 05:23
 (GUTO MUNIZ/DIVULGAÇÃO)

(GUTO MUNIZ/DIVULGAÇÃO)

“Aqui, não! Aqui, sim!”, esbravejavam os atores e dançarinos, ao som de guitarras pesadas. A dicotomia, ora tênue e frágil, ora severa entre o distante e o próximo, o pertencente e o excluído, o perto e o longe compõem a linha narrativa do 10º espetáculo do Valores de Minas, chamado de “Zanzar”, que celebra os dez anos de existência do programa.

Tendo como tema central as várias definições da palavra fronteira, os mais de 500 jovens do elenco passaram os últimos nove meses preparando o espetáculo. Muitas foram as referências, sempre em busca de novos significados que pudessem agregar sentido e sentimento à apresentação. Fronteira remete, em um primeiro momento, a algo distante, longe de se ver, longe de ser alcançado. Mas, além de definir a separação administrativa e política entre cidades, estados e países, muitas vezes pautada em acidentes geográficos, também remete às diferenças sociais e econômicas, de gênero e raciais, dentre outras.

Apesar disso, ou melhor, por isso mesmo, fronteira pode e deve ter outros significados. A fronteira é, de fato, o lugar mais próximo entre as distâncias, quaisquer que sejam elas. Por isso, é na fronteira que se tem o encontro.

Com esse pressuposto em mente, ao longo deste ano os alunos do Valores de Minas buscaram esse encontro, organizando as ideias e propostas da dança, artes cênicas, música, artes visuais e circo.

As apresentações foram realizadas na primeira semana deste mês, no espaço do Plug Minas, onde eles ensaiam, e, na última sexta-feira, no grande teatro do Palácio das Artes, em sessão dupla lotada.

 

 

Uma década

O programa Valores de Minas é uma parceria entre o Serviço Voluntário de Assistência Social (Servas ) e o governo do Estado com o objetivo de oferecer ações educativas de arte e cidadania para jovens de escolas públicas de Belo Horizonte e cidades vizinhas.

Na comemoração dos dez anos de existência, além do “Zanzar”, foi organizada uma exposição de fotos e lançado o livro “10”, que contam a trajetória do Valores de Minas. Desde 2005, quando foi criado, já passaram pelo programa 5.710 jovens, com idade entre 14 e 24 anos.

“O Valores de Minas possui uma trajetória rica, de experiências muito intensas e verdadeiras, que transformaram, de alguma maneira, aqueles que passaram pelo programa. Completar dez anos significa também chegar ao fim da primeira infância, de muitas páginas escritas e conquistas reverberadas”, avalia a coordenadora executiva do programa, Carolina Cabral.

Para ela, agora essa política pública já começa a entrar na puberdade. “Entrar em uma adolescência de muitas descobertas e novas experimentações em que cada sujeito disposto a encará-la corajosamente possa criar, construir e representar novos conhecimentos com arte, sem dúvida, nosso fundamento”, afirma.

Histórico

Desde 2005, como resultado da prática artística e pedagógica do programa, foram montados os espetáculos “Delírio Barroco” (2005), “Estrada dos Sonhos” (2006), “Opara” (2007), “Sempre Alegre, “Miguilim” (2008), “Metrópole” (2009), “O Herói e a Armadura” (2010), “A Lira e o Tambor” (2011), “Ali(ce)ia” (2012) e “garimpAR” (2013).

Além disso, já foram abertas 14 exposições, publicados sete livros e realizadas 145 apresentações. Outras informações: plugminas.mg.gov.br.
 

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por