Um caso incomum vem deixando os paulistanos intrigados. No dia 1º de março, um circuito interno de um prédio localizado na Avenida Paulista, altura do número 1750, flagrou uma mulher colocando um crânio na entrada da portaria do edifício. O curioso é que até então ninguém sabia quem era a pessoa e muito menos o porquê de sua ação. Neste sábado (9), porém, a Guarda Civil Metropolitana (GCM) de São Paulo deteve uma senhora de 42 anos, que é a suspeita de ter furtado duas ossadas de um cemitério da Zona Leste de São Paulo e espalhado pela região. Caso seja confirmada sua participação no crime, ela poderá solucionar o mistério, que deixou os moradores da região assustados.

Além do crânio encontrado na Avenida Paulista, foram encontrados duas ossadas no Estado. No dia 20 de fevereiro, o edíficio do Copan, que foi projetado pelo arquiteto Oscar Niemeyer, teve um crânio deixado em uma jardineira próxima. Pouco tempo depois, no dia 4 de março, foi a vez da cidade de Sorocaba receber o "presente".Funcionários do Serviço Autônomo de Água e Esgoto (Saae) do município encontraram a peça do corpo humano em um córrego localizado na região central.

Até o momento, a polícia não sabe quem deixou os crânios nos locais e se a mulher apreendida neste sábado tem relação com o caso.