Presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 1995, quando a urna eletrônica foi implantada, o ex-ministro Carlos Veloso, classificou as mentiras e boatos que circulam na internet como uma “praga” a ser combatida. A declaração foi dada neste domingo (28), enquanto ele votava na escola estadual Governador Milton Campos, em Belo Horizonte.

O ex-presidente do Supremo Tribunal Federal (STF) ainda criticou quem coloca o processo eleitoral no Brasil sob desconfiança. “Mostra um desconhecimento. As urnas eletrônicas são absolutamente seguras. Há diversos mecanismos de segurança implantados na urna. Pensar em uma fraude na urna é pensar em toda ou pelo menos metade da Justiça Eleitoral ser corrompida. Isso é impossível”, sustentou.

Segundo o Ministro, há quem sinceramente acredite que possa haver fraude, mas muitos dizem por má fé. “Quero me dirigir àqueles que acreditam sinceramente: podem ficar certos, podem ficar seguros de que a urna não propicia nenhuma fraude. Ao contrário, tem a maior segurança. A urna veio justamente para acabar com a corrupção eleitoral”, afirmou.

Apesar dos questionamentos feitos ao trabalho do TSE, Veloso disse que a Corte segue segura. “A democracia é isto mesmo. É o debate. Felizmente, nós estamos praticando uma boa democracia, uma democracia eficaz”, disse.

Por acreditar que ainda é formador de opinião, Veloso não quis revelar em quem votou, e disse acreditar que as tecnologia vão ajudar no combate às fake news. “As fake news são uma praga. Porque você tem em mãos esse pequeno computador (celular) que tem mais recursos do que aquele que levou o homem à lua. Então, a pessoa recebe uma mensagem, acredita naquilo e passa pra dez, pra cem...mas eu acredito na inteligência. Acho que vamos estabelecer, com a inteligência artificial, a forma de coibir as fake news”, comentou.