'La Casa de Papel': autores da trilha sonora participam do festival Musimagem

Paulo Henrique Silva
phenrique@hojeemdia.com.br
23/08/2021 às 14:09.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:44
 (NETFLIX/DIVULGAÇÃO)

(NETFLIX/DIVULGAÇÃO)

Um dos compositores da trilha sonora de “La Casa de Papel”, cuja aguardada quinta temporada será no próximo mês, com exibição na Netflix, Ivan Martinez Lacamara sabe qual a cena musical da série espanhola mais caiu no gosto dos brasileiros.

“Pelo o que pude ver no YouTube, os momentos do Professor com Lisboa, que têm um tema dedicado a eles, combinando o épico com o amor que sentem, são os preferidos dos fãs brasileiros”, afirma Lacamara, em entrevista ao Hoje em Dia.

CBB. Falar de música é saber muito sobre os bastidores de uma produção.

Tão difícil quanto entrar na Casa da Moeda, por exemplo, foi realizar a trilha sonora da série num espaço de tempo tão reduzido. “Foi bastante complicado, principalmente pela quantidade de músicas a serem compostas em cada capítulo e os poucos dias que tivemos”, registra Lacamara.

“A chegada da Netflix nos permitiu estender um pouco esses dias, mas a intensidade dos enredos, tornavam a música cada vez mais complexa e intensa”, salienta Lacamara, que estará acompanhado, no debate que acontecerá na sexta, do parceiro Manel Santisteban.

“Quando nos chamaram para fazer as novas temporadas, no começo a gente não sabia muito bem o que íamos encontrar. Mas quando vimos o primeiro capítulo, percebemos que ainda era em essência ‘La Casa de Papel’, numa versão XL, aprimorada em todos os aspectos”, observa.

Musicalmente, registra, a série não mudou muito ao longo das cinco temporadas. “Desde o início, os sons eram híbridos, com orquestras e sintetizadores. Se é verdade que a terceira e quarta temporadas foram mais frenéticas, em ação, então a música também foi”.

Vale também dar um pequeno spolier sobre o que esperar do desfecho de mais um grande assalto liderado pelo Professor. “A música evolui um pouco mais em direção ao épico, que não é algo novo na série, porque é repleta de momentos musicais épicos”, revela.

Compositor brasileiro assina a trilha sonora de várias produções de Hollywood

Começou com “George, o Curioso”, em 2006, e não parou mais. De lá para cá o guitarrista e compositor brasileiro Heitor Pereira assinou a trilha sonora de diversas produções infantojuvenis em Hollywood, entre eles “Meu Malvado Favorito”, “Smurfs”, “Minions”, “Angry Birds”, “Pé Pequeno” e “Playmobil: O Filme”.

“Os caminhos da minha carreira como compositor foram me levando esses últimos anos aos filmes de animação. Eu tenho um carinho especial por esse gênero e me sinto muito à vontade com todos os times que trabalham nessas produções”, registra Pereira, também no cast de palestrantes do Musimagem.

O músico explica que o gênero ajudou a aliar o que mais gosta de fazer musicalmente: escrever para bandas e compor para orquestra.  são duas coisas que eu gosto demais de fazer, “Isso parece que se encaixa na paleta sonora desses tipos de filme”, destaca Pereira, que foi integrante da banda Simply Red.

A participação no grupo inglês conhecido por suas baladas até hoje se faz presente no trabalho de Pereira, como uma espécie de parceria imaginária. “É como se a gente ainda estivesse tocando junto. O trabalho de composição é solitário e eu prefiro pensar que todos esses músicos/amigos estão do meu lado”.

Ele observa que, ao assinar a trilha de um filme infantil, tem que pensar na família inteira. Por isso ele prefere chamar as obras de filmes para a família. “A música ajuda a gente a sentir, em relação aos personagens animados, as mesmas emoções que sentiríamos se eles fossem seres humanos”.

Para Pereira, é  “um gênero de cinema onde são bem-vindas melodias completas, orquestras tradicionais ou híbridas e que me permite colaborar com grandes músicos, grandes solistas e grandes corais”. Em outras palavras: “É o paraíso perfeito para mim”.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por