Chegada do inverno amplia alerta para baixo nível de estoques de sangue em Minas

Marina Proton
mproton@hojeemdia.com.br
29/06/2021 às 12:48.
Atualizado em 05/12/2021 às 05:17
 (Lucas Prates/Hoje em Dia)

(Lucas Prates/Hoje em Dia)

Em meio a um cenário já preocupante por conta da pandemia de Covid-19, novo fator liga o alerta para a baixa nos estoques de sangue da Fundação Hemominas. A chegada do inverno é apontada como um dos motivos para procura reduzida por parte de doadores. Hoje, os estoques estão até 26% abaixo do ideal.  

Conforme informou o Hemominas, a reserva de sangue dos tipos positivos está, em média, em nível 16% inferior. Já em relação aos negativos, a queda é ainda mais preocupante. Os tipos sanguíneos com maiores quedas são o O positivo (-36%), O negativo (- 38%) e A positivo (-27%).

“O frio interfere porque o doador, nesse tempo, desaparece das unidades. Eles acabam ficando um pouco mais em casa. Além disso, também aumentam as inaptidões por ser uma época que as pessoas não se hidratam muito bem. E você precisa estar muito bem hidratado. Então, além de não comparecer com tanta frequência, ainda tem a situação dos doadores que comparecem e não estão aptos. Sendo assim, não podem doar”, informou Thiago Figueira Sindeaux, da assessoria de captação de doadores da fundação.

A baixa no estoque, conforme informou o Hemominas, está em situação crítica e de alerta, mesmo com uma volta considerada “tímida” de alguns doadores. “Temos verificado, sobretudo na última semana, um aumento no comparecimento dos doadores. Mas um aumento muito tímido, então seguimos com os estoques em nível de alerta. O O negativo, por exemplo, está em nível crítico”, disse Thiago Figueira ao Hoje em Dia.

Por isso, o apelo para que mais pessoas se cadastrem para realizar a doação. “A gente precisa ficar em casa, mas a doação de sangue é necessária e essencial. É sempre importante pedir que a população agende um horário e venha doar. O que precisamos lembrar é que existem pessoas que têm doenças e precisam sempre de sangue, muitas vezes de forma mensal ou em intervalos menores. Então é importante que o doador atenda esse chamado. Neste momento é preciso fazer o essencial e a doação de sangue é essencial”, concluiu.

Solidariedade

Aqueles que já compareceram para doação, afirmam entender a importância que o ato representa e, por isso, também esperam inspirar outras pessoas.  É o caso da estudante Carolina Cristina Leite da Silva, de 26 anos.

“Acho que é o que todo mundo fala, né? Um ato de amor e o mínimo que a gente pode fazer. Não custa nada vir aqui, sentar e dar um pouquinho de sangue que pode ajudar muita gente. É tranquilo, rapidinho e o pessoal é muito bem informado, ajuda em todas as dúvidas. Acho que no contexto que a gente está, fica evidente a importância dessa doação de sangue”, finalizou.

Níveis críticos e como doar

Conforme informou a Fundação Hemominas, os estoques do O negativo são considerados em situação crítica, enquanto o O positivo, A positivo, A negativo, B negativo e AB negativo estão em estado de alerta. O B positivo encontra-se adequado e o AB positivo está estável.

Para que todos aqueles possam estar em situação estável, os doadores interessados podem realizar agendamento por meio do site ou aplicativo, disponíveis neste link. Entre os requisitos básicos para doar, é necessário estar em boas condições de saúde, ter entre 16 e 69 anos, mais de 50 kg, estar bem descansado no momento da doação, estar alimentado e apresentar documento original e oficial com foto. Todas as condições e restrições podem ser conferidas http://www.hemominas.mg.gov.br/doacao-e-atendimento-ambulatorial/doacao-de-sangue/condicoes-e-restricoes.

Aqueles que tiveram contato com contaminados pelo coronavírus têm de esperar 14 dias, enquanto os que apresentam qualquer sintoma respiratório, mesmo que leve, febre ou outros indícios infecciosos, devem aguardar um mês após a recuperação para doar.

Já para os vacinados contra a enfermidade, o prazo de inaptidão para doação de depende da vacina recebida. Para as vacinas disponíveis até o momento, os prazos são de 48 horas para CovonaVac e sete dias para AstraZeneca, Pfizes e Janssen.

Em caso de não comparecimento, o órgão pede que o cancelamento do agendamento seja efetuado para disponibilizar o horário a outro candidato.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por