Decoração cenográfica: estratégia para melhorar visual e liquidez de imóveis para venda e aluguel

Patrícia Santos Dumont
pdumont@hojeemdia.com.br | @patriciafsdumont
10/01/2020 às 09:38.
Atualizado em 27/10/2021 às 02:15
 (Divulgação)

(Divulgação)

Imagine entrar numa casa ou apartamento disponível para aluguel ou venda e se deparar com tudo arrumadinho, no lugar: ambientes mobiliados, decorados, paredes pintadas, tudo em perfeito estado e funcionamento. Realidade diferente da que, muitas vezes, vemos aqui, no Brasil – onde os ambientes costumam ficar vazios, à espera do próximo morador e até de reparos –, mas que promete mudar, pelo menos no que depender de um serviço novo, cuja principal promessa é aumentar a liquidez dos imóveis. 

Home staging, como foi batizado no país natal, os Estados Unidos, é o nome do serviço que consiste em decorar, de forma parcialmente cenográfica, ambientes disponíveis para serem habitados novamente. A ideia é que com os espaços preenchidos por móveis – grande parte deles confeccionados em papelão – e objetos decorativos, o cliente tenha uma noção mais clara e real de como poderá aproveitá-los no futuro, caso feche negócio. Fotos Divulgação

COMPLETINHO - Projeto individualizado permite mostrar ao possível inquilino ou comprador dimensões reais do imóvel e as possibilidades para explorá-lo melhor. Cozinha americana e sala de apartamento trabalhado por Andréia Linhares, em BH, ganharam até eletrodomésticos e TV 

Custo X benefício

Especialista no assunto, a designer de interiores e , de Belo Horizonte, garante que o investimento vale a pena. Segundo ela, é mais viável contratar um projeto, que pode custar cerca de R$ 2 mil, a render-se ao poder de barganha do futuro cliente. “Pesquisas mostram que mais de 60% das pessoas preferem pagar um pouco mais num imóvel em que não tenham nada para mexer”, diz.

Na prática, o serviço de Andréa, uma das poucas home stagers em BH, funciona assim: a profissional vai até o imóvel vazio, tira fotos, elabora um projeto e, caso seja aprovado, inicia a seleção dos móveis e adornos, maioria deles disponíveis num acervo pessoal.

“Se eu já tiver tudo pronto, em dez dias entrego montado e decorado. Dependendo do que for necessário, posso levar até 20 (dias)”,explica a designer. A profissional é parceira de uma empresa onde os papelões são cortados nas dimensões de geladeira, fogão, sofá e cama – mais comuns nas decorações cenográficas – e conforme o local a ser mobiliado. Fotos Divulgação

COM EMOÇÃO - Mobiliário de papelão combinado com peças do acervo da designer de interiores e home stager Andréa Linhares deu cara nova a um apartamento vazio à venda em Belo Horizonte; sala “preenchida” transmite sensação de acolhimento ao visitante, justifica a profissional

Realismo

Repaginar o visual de um imóvel ajuda a dar ao cliente a percepção real do espaço – tanto de tamanho, quanto de conservação. Além disso, segundo Andréa Linhares, o home staging transmite emoção e pessoalidade, facilitando a compra ou o aluguel. “A pessoa tem que sentir emoção, entrar e dizer ‘Uau, que lugar bacana!’. Se sentir acolhido e criar uma conexão com o ambiente”, afirma. 

A estratégia também vem sendo procurada por construtoras em substituição à decoração “de verdade” dos apartamentos-modelo, chamariz para clientes. O serviço chega a custar até seis vezes menos.

10% é a desvalorização média de imóveis que demoram mais de 6 meses para serem vendidos; percentual é maior do que o investimento em home staging, dizem especialistas

Repaginar visual de local ainda habitado despersonaliza imóvel

Repaginar o visual de um ambiente ocupado, trocando a mobília de lugar ou redecorando espaços, também é uma estratégia para melhorar a imagem do imóvel frente a quem o visita. Junto de pequenos reparos, como consertar uma parede infiltrada ou substituir uma lâmpada queimada, os artifícios ajudam a passar uma impressão mais positiva e a encurtar o caminho até a assinatura do contrato. 

http://lilianchamonehomestager.com.br/ que formou-se em instituições nos Estados Unidos e na Europa, defende que o investimento é uma forma de fixar o preço do imóvel. “Muita gente primeiro vende para depois comprar. Nestes casos, é preciso, sim, dar uma melhorada na aparência, coisa que muitos não sabem como fazer”, explica.

A profissional pode tanto prestar uma consultoria, orientando sobre pontos ou objetos que precisam ser substituídos ou só trocados de lugar, como executar o projeto por completo. “Sempre reforço que em imóveis onde mora uma família não dá para deixar tudo impecável, mas conseguimos melhorar muito!”, diz Lilian. Fotos Divulgação

NA MEDIDA CERTA - Mobiliar e decorar com os itens certos, sem personalizar demais o ambiente, ajuda a dar um empurrãozinho em quem deseja comprar ou alugar um imóvel, garante a home stager Lilian Chamone. Na cozinha acima, que estava vazia, foram usados utensílios do acervo da profissional

Vale a pena

A home stager não revela quanto custam os serviços, indicado tanto para apartamentos e casas que já foram ou estão ocupados quanto para imóveis recém-entregues pelas construtoras. Mas garante que vale a pena. “É uma questão cultural. Se a gente prepara nosso carro para vender, por que não fazer o mesmo com nossa casa, nosso maior patrimônio?”.

A escolha dos móveis e adornos leva em conta a faixa de preço do imóvel, se popular ou de luxo.

Confira outros "antes e depois" na galeria de imagens abaixo:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por