Corpos de mineiro e capixaba mortos em escalada não devem ser resgatados

Da Redação
17/02/2019 às 22:17.
Atualizado em 05/09/2021 às 16:35
 (Reprodução/ Facebook / Montagem)

(Reprodução/ Facebook / Montagem)

Apenas roupas, documentos e equipamentos dos escaladores mortos no Monte Fitz Roy, na Argentina, devem ser entregues às famílias. Isso porque os corpos do mineiro Leandro Iannotta e do capixaba Fabrício Amaral foram encontrados em um local de difícil acesso e resgate. A informação foi repassada ao G1 por um familiar. 

Os restos mortais da dupla foram encontrados no último dia 3 de fevereiro. Escaladores experientes, eles iniciaram o trajeto, considerado perigoso, em 16 de janeiro. O retorno estava previsto para o dia 20, mas uma frente fria atingiu o local no dia 19 de janeiro. 

O mineiro de BH era guia de escalada na Cachoeira do Tabuleiro, no município da região Central de Minas, desde 2013. Ele chegou a apresentar o local para escaladores do Brasil e de países como o Chile, Suíça, Suécia, Espanha, Estados Unidos e Inglaterra. 

Leia mais:

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por