A defesa de Clésio Andrade entrou com recurso nesta sexta-feira (18), contra a decisão que condenou o ex-senador no mensalão tucano, a cinco anos, sete meses e 15 dias de prisão, pelo crime de lavagem de dinheiro.

O advogado dele, Eugênio Pacelli, confirmou que o recurso foi protocolado no Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

A assessoria do Fórum Lafayette informou que o documento ainda não foi oficialmente anexado ao processo. Assim que isso ocorrer, o recurso será analisado pelo juiz e enviado para a 2ª instância do TJMG.
 
A sentença que condenou Andrade foi proferida pela juíza Lucimeire Rocha, da 9ª vara criminal de Belo Horizonte, na última sexta-feira (11). Ele foi condenado pelo crime de lavagem de dinheiro a cinco anos, sete meses e 15 dias de reclusão por participar do desvio de R$ 3,5 milhões em estatais mineiras em 1998, no esquema que ficou conhecido como "mensalão tucano".

Na época, Andrade era candidato a vice-governador da chapa encabeçada por Eduardo Azeredo (PSDB). Na sentença, a magistrada fixou o regime inicial como semiaberto. Ela ainda absolveu Clésio Andrade dos crimes de peculato.

Atualmente, o ex-senador é presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT).

Leia mais:
Clésio Andrade é condenado a cinco anos de prisão dentro do 'mensalão tucano'
Condenado no 'mensalão tucano', Clésio Andrade tem cinco dias úteis para recorrer da decisão
Justiça condena ex-secretário do governo Azeredo por envolvimento no mensalão tucano