Comércio pode efetivar até 60% dos trabalhadores temporários em BH

Leíse Costa
leise.costa@hojeemdia.com.br
24/12/2021 às 15:34.
Atualizado em 29/12/2021 às 00:37
 (Maurício Vieira/ Hoje em Dia )

(Maurício Vieira/ Hoje em Dia )

Passado o Natal, principal data para o varejo, comerciantes começam a fazer o balanço das vendas do fim de 2021 para tomar uma decisão que vai impactar a vida de 9,6 mil empregados temporários convocados este ano em Minas: quem será efetivado no cargo e quem terá o contrato encerrado. 

Em Belo Horizonte, dados da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL-BH) mostram que 17,1% do empresariado pretendia aumentar a equipe neste fim de ano. Segundo a pesquisa, feita com 286 patrões, a expectativa é a de que seis a cada dez contratações sejam efetivadas. Possibilidade superior à nacional, pois a Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) estima que aproximadamente quatro em cada dez empresários (38,7%) pretendem manter por tempo indeterminado ao menos um dos funcionários temporários.

Os postos de trabalho temporários abertos para atender a demanda na reta final do ano são vistos como uma oportunidade de renda e inserção no mercado de trabalho para quem está desempregado – 12,5% da força de trabalho em Minas, o equivalente a 1,4 milhão de pessoas, segundo o IBGE. 

De acordo com o economista Guilherme Almeida, da Fecomércio MG, dois são os fatores que pesam para o empresário na hora de efetivar empregados: a economia do país e o desempenho do profissional candidato à vaga definitiva. “Primeiro, se as vendas de fim de ano atenderem às expectativas e gerarem perspectiva de crescimento para o próximo ano, mas também o desempenho da mão de obra temporária”.

Para o primeiro fator, há vários desafios em 2022. “Encarecimento do crédito, eleições para presidente e uma inflação que segue pressionada e corroendo o poder de compra das famílias. Isso pode atrapalhar o varejo no próximo ano, mas quando a gente avalia a opinião dos empresários, a possibilidade de efetivação existe”, afirma.

Em relação ao desempenho, a psicóloga e especialista em gestão de pessoas Bárbara Fialho avalia que é essencial para quem está trabalhando demonstrar profissionalismo.

“Mostre senso de responsabilidade, cuidado com o trabalho, respeito ao outro, disposição em aprender e atenção aos horários, porque estamos falando de um período de movimentos intensos e importantes para a empresa. Pode até ser que a pessoa não seja contratada naquele momento, mas o empregador não vai se esquecer dela”.

No Natal de 2010, Cristiane Rocha foi contratada temporariamente como operadora de caixa para uma das lojas da Imaginarium na capital. Hoje, é gerente da unidade da marca no Shopping Del Rey, na Pampulha, e responsável pela contratação de funcionários provisórios. “É preciso entrega e objetivo. Vim focada em entregar resultados e crescer. Naturalmente, contribui para o crescimento da loja”, conta.

De acordo com a gerente, neste período, as empresas buscam comprometimento. “Não só com a loja, mas com os clientes também. Além de pontualidade e compromisso com metas das vendas. Esse conjunto faz a diferença”.

Segundo a CDL-BH, expectativa é a de que seis a cada dez contratações temporárias sejam efetivadas
Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por