Aécio diz sentir no brasileiro o ‘desejo de libertação’

Hoje em Dia
24/10/2014 às 23:38.
Atualizado em 18/11/2021 às 04:45
 (Marcos Fernandes/Divulgação)

(Marcos Fernandes/Divulgação)

O horário eleitoral reservado ao candidato do PSDB à Presidência da República, senador Aécio Neves, foi ao ar nesta sexta-feira (24) na TV antes da inserção da candidata petista à reeleição, Dilma Rousseff. Ele começou agradecendo os eleitores e disse que, ao viajar pelo país, sentiu o “entusiasmo das pessoas e o desejo de libertação dos brasileiros”. O tucano afirmou ainda que os dias atuais têm sido uma “coleção de decepções” para a população.

“Há 30 anos, os brasileiros se uniram em torno do meu avô, presidente Tancredo Neves, para vencer a ditadura e gritaram por todo o país: muda, Brasil”, disse o tucano. “Hoje, eu repito a mesma frase: muda, Brasil. A história, você sabe, é feita por pessoas, é feita por todos nós, e hoje está muito claro que nós estamos prontos para iniciar um novo e belo momento em nossa história”.

Aécio voltou a exibir declarações de apoio da ex-ministra Marina Silva (PSB), que no primeiro turno da disputa presidencial terminou em terceiro lugar. Também foi exibido o apoio do senador eleito pelo Rio de Janeiro, Romário (PSB), e da viúva do ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, Renata.

Marina disse que votará em Aécio porque ele assumiu compromissos de dar sequência às políticas sociais e de defender o meio ambiente. Romário, por sua vez, pediu votos para o tucano afirmando que o presidenciável vai lutar pela “morali-zação do esporte”. Renata se referiu a Aécio como alguém que “representa um conjunto de forças que busca trilhar o caminho da mudança”.

A campanha tucana ainda utilizou uma gravação do jogador Neymar, que circulava na quinta-feira (23) nas redes sociais. No vídeo, o jogador disse que decidiu com sua família se envolver na eleição presidencial e pediu que os eleitores não anulem ou votem em branco, nem transformem a eleição “numa guerra campal”. Neymar falou que este é um momento importante para a democracia e disse que vota em Aécio.

“Estamos num momento político muito importante e não podemos votar nulo ou em branco neste momento. Geralmente, a opinião pública associa todo o apoio de personalidades como algo oportunista, mas não devemos deixar de nos posicionar. Votar nulo ou em branco não ajuda o país”, disse o jogador.

Nos últimos dias, circulou na internet uma foto montagem em que aparece Neymar com um cartaz pedindo votos para Dilma. A foto original foi adulterada. O cartaz que o jogador segurava era de parabéns ao filho que estava de aniversário. A publicidade tucana foi encerrada com cenas de atos políticos pró-Aécio em cidades como São Paulo, João Pessoa, Salvador, Rio de Janeiro e Porto Alegre.

Promessa é de ampliar horário das creches

O presidenciável tucano Aécio Neves reafirmou na quinta-feira (23) seu compromisso com iniciativas que beneficiem diretamente a mulher trabalhadora e prometeu ampliar o horário de atendimento das creches e das pré-escolas públicas até às 20h em todo o país.

O objetivo, segundo ele, é dar tempo suficiente para que as mães possam pegar seus filhos nesses locais, já que o trânsito das cidades e outras dificuldades de deslocamento atrapalham a vida dessas famílias hoje. A demanda, segundo ele, foi encaminhada por mães de várias partes do Brasil.

Aécio assumiu também o compromisso de garantir uma lei que amplie a licença-maternidade de mães cujos filhos recém-nascidos ficam internados logo após o nascimento por algum problema de saúde o tempo começaria a contar após a alta hospitalar.

Candidato relembra trajetória de vida

Aécio Neves reiterou que sua trajetória de vida é a melhor resposta que pode dar às acusações infundadas deLula e demais adversários políticos. “A minha história de vida está aí. Eu, com 22 anos de idade, disputava eleições. Tenho 30 anos de mandatos consecutivos honrados, fiz uma trajetória de vida pública que os mineiros e os brasileiros reconhecem como uma trajetória rara”, afirmou ele.

Aécio ressaltou que, aos 24 anos, era um dos jovens líderes da campanha em favor do voto direto dos eleitores para os governantes no Brasil, as Diretas Já. “Com 24 anos, eu estava ajudando a organizar a campanha das Diretas e depois como um dos coordenadores da eleição de Tancredo Neves, que nos livrou da ditadura e, infelizmente, o Brasil não teve lá o apoio desses que me acusam hoje”, disse ele, lembrando que houve recusa do PT de apoiar a candidatura de Tancredo em 1984.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por