Tarcísio Delgado reconhece não ter chance de vitória, mas comemora oportunidade de falar o que pensa

Ana Luiza Faria - Hoje em Dia
16/09/2014 às 07:40.
Atualizado em 18/11/2021 às 04:13
 (Lucas Prates)

(Lucas Prates)

O candidato ao governo do Estado pela coligação “Minas quer Mudança”, Tarcísio Delgado (PSB), reconheceu nessa segunda-feira (15) não ser um candidato com possibilidade de vitória nessas eleições. “Infelizmente, o quadro é esse. Nossa campanha é muito pobre. Se eu ganhasse as eleições, nós iríamos fazer diferente”, disse. Ele participou do Fórum das Entidades Representativas do Setor Empresarial de Minas Gerais, realizado nessa segunda na Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Belo Horizonte.    Tarcísio disse que mesmo aparecendo em terceiro lugar nas pesquisas, com apenas 3% das intenções de votos, ele não desanimou. “A minha candidatura tem que existir. Só assim eu consigo falar para o povo mineiro as verdades nas quais eu acredito”. De acordo com o candidato, essa é uma oportunidade ímpar para que possa expor suas ideias e falar o que pensa. “Só isso já me realiza. Não sou candidato que fala o que todo mundo quer ouvir para ganhar eleição. Não sou um Zé Promessas”.   O candidato criticou a atual política econômica do Estado. “Os valores dos impostos em Minas Gerais são altíssimos. Estamos perdendo grandes empresas que poderiam se instalar em Minas para outros Estados”, afirmou. Para o candidato do PSB, o próximo governador de Minas deve priorizar a reforma tributária e burocrática. “Minas é o Estado que mais onera o empreendedor. Os tributos precisam passar por uma mudança profunda”, contou.    Segundo Tarcísio, os governantes não podem ter medo de desagradar determinadas pessoas ou correntes. “Não tem como agradar a todos ao mesmo tempo”.    Tarcísio alegou também que muitas empresas não querem se instalar em Minas porque, além das altas cargas tributárias, o Estado não oferece segurança pública. “Minas é o Estado mais violento do Brasil. Os empresários não querem vir pra cá por causa do alto índice de criminalidade”.     Meio Ambiente    Tarcísio Delgado declarou ainda que o atual modelo do licenciamento ambiental deve ser racionalizado. Para ele, é preciso buscar equilíbrio e racionalidade para as leis ambientais. “Muitas vezes, obras importantes são interrompidas por causa das leis ambientais, que são rigorosas e irracionais”. De acordo com Tarcísio, é preciso preservar o meio ambiente e buscar a sustentabilidade sem radicalismo.      Jogo de Empurra   Delgado acusou seus adversários na eleição de fazerem um “jogo de empurra”. Segundo ele, ninguém quer assumir responsabilidade sobre nada que não tenha dado certo. “Tem que haver sintonia entre os governos. Uns falam que o governo federal não fez nada por Minas, outro fala que Estado não aceita os projetos da União. Os dois ficam se atacando e enquanto isso viaduto caindo. Aí, nessa hora, o viaduto não era responsabilidade de ninguém”, alfinetou.     Socialista quer mais royalties do minério   Tarcísio Delgado afirmou que Minas Gerais é “espoliada” na exploração mineral. O candidato do PSB ao governo comparou a riqueza natural do Estado, o minério, com o petróleo. “Os royalties do minério são 2% e do petróleo, 10%, sendo que a extração do mineiro é muito mais simples do que a do petróleo”, argumentou.    Segundo Delgado é preciso que os lucros desse setor “sobrem” mais para Minas. “Temos que lutar por isso. O povo deve se mobilizar como em 19 50 para criar a Petrobras, e criar a Mineriobrás, a indústria onde a matéria prima seja o minério” .   Nesta terça-feira (16) , o candidato cumpre agenda nas cidades de Governador Valadares, Conselheiro Pena, Aimorés e Resplendor, no Vale do Rico Doce.

Compartilhar
Ediminas S/A Jornal Hoje em Dia.© Copyright 2022Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por