Ficar em casa, isolado de quem se ama, tem sido a maior reclamação de quem vive o período de quarentena, devido à pandemia do novo coronavírus. Numa pesquisa feita pela reportagem, via Twitter, a maioria dos depoimentos mostrou que, neste oitavo dia de isolamento, a saudade é o que mais tem pesado no cotidiano.

Este é o caso do advogado Bráulio Assis. Contato com a sobrinha e com os pais, neste momento de cuidados redobrados, tem sido apenas por ligações de vídeo no Whatsapp. Mas ele não é o único. O Fotógrafo Gustavo Espósito, lamenta por não poder seguir a rotina de almoçar com a mãe todos os dias. O jornalista Léo Figueiredo, da Rádio Itatiaia, relata que o maior sofrimento neste período tem sido não levar a filha Rafaela para visitar os avós.

Assim como eles, o estudante de Engenharia Matheus Henrique também sente muita falta do contato familiar.

"Sinto falta de estar com meus pais e avós, que sempre fico longe devido à faculdade fora da minha cidade e não poder abraçá-los desde que cheguei. Mas sei que será apenas um tempo", conta ao Hoje em Dia.

Ócio e preocupação

Outro relato que grande parte das pessoas faz neste momento é a sensação de impotência. Ficar em casa sem trabalhar e vendo as contas batendo às portas, tem dado bastante dor de cabeça; principalmente para aqueles que vivem do trabalho informal.

Confira os relatos dos internautas sobre as "dores da quarentena":