A grande motivação da Caldense para a partida desta quarta-feira (3), contra o Cruzeiro, às 21h30, no Mineirão, pela segunda rodada do Módulo I do Campeonato Mineiro, é tentar quebrar um tabu de 26 anos sem derrotar a Raposa como visitante. A última vitória da Veterana sobre os cruzeirenses, na capital, em 25 de fevereiro de 1995, aumentou ainda mais uma crise que rondava a Toca e começou em Sabará e decretou a queda do delegado que comandava o time.

Zezé Perrella assumiu a presidência do Cruzeiro no início de 1995 e o primeiro treinador contratado por ele foi Antônio Lopes, conhecido naquela época por ser disciplinador, fruto da sua experiência de detetive até comissário (delegado) na Polícia Civil no Rio de Janeiro.

Antônio Lopes treinador de futebolAntônio Lopes foi contratado pelo Cruzeiro, em 1995, por ser disciplinador, mas não conseguiu evitar balada dos jogadores e seu time ainda teve rendimento ruim no Campeonato Mineiro

O Cruzeiro tinha quase sido rebaixado no Brasileirão de 1994 e um dos diagnósticos era de que o excesso de badaladas de alguns jogadores contribuiu para isso.
Ainda na pré-temporada, uma bomba na Toca da Raposa. A festa de aniversário do meia Macalé, em Sabará, prosseguiu numa boate e terminou com o dia clareando. Alguns participantes se atrasaram para a apresentação do dia seguinte, quando aconteceria a viagem para Ipatinga para um amistoso contra o Ideal.
Foram afastados pela diretoria os jogadores Webert, Edenilson, Macalé e Roberto Gaúcho. Zelão e Arley Álvares foram multados.

Fracassos

Em 5 de fevereiro, a Raposa estreou no Campeonato Mineiro empatando por 0 a 0 com o Tupi, no Mineirão. Após a partida, um grupo de torcedores arremessou pedras contra os vidros da sede do Barro Preto, na rua Guajajaras.

Depois de vencer até bem Democrata-Sl (3 a 0) e Rio Branco (4 a 0), o Cruzeiro recebeu a Caldense, em 25 de fevereiro de 1995, no Mineirão, vindo de derrotas seguidas para Democrata-GV e Valério, ambas por 1 a 0 e fora de casa.

Com um gol do atacante Vantuir, aos 44 minutos do segundo tempo, a Veterana, que era dirigida pelo maior jogador da sua história, Ailton Lira, venceu por 1 a 0 e decretou o fim da curta passagem de Antônio Lopes pela Toca da Raposa.

O delegado Antônio Lopes não deu conta de colocar ordem na casa, nem conseguiu bom desempenho do time. E na sexta rodada do Campeonato Mineiro de 1995 caiu.

Em 3 de março, na partida seguinte do Cruzeiro, que estreava na Copa do Brasil encarando o CSA, em Maceió, o time já foi comandado por Carlos Alberto Silva.

Retrospecto

Após essa vitória da Caldense em 25 de fevereiro de 1995, ela jogou como visitante contra o Cruzeiro por 15 vezes. Foram nove vitórias cruzeirenses e seis empates. A Raposa marcou 30 gols e a Veterana oito.

No início do século aconteceram dois confrontos importantes. Em 20 de maio de 2001, com o empate por 1 a 1, a Caldense tirou o Cruzeiro, dirigido por Luiz Felipe Scolari, da decisão do Campeonato Mineiro contra o Atlético.

Pouco mais de um ano depois, em 30 de maio de 2002, com uma goleada por 4 a 0, a Raposa, que tinha sido bicampeã da Copa Sul-Minas, conquistou o Supercampeonato Mineiro em cima da Caldense, que tinha vencido o Estadual.

A FICHA DE 25/2/1995

CRUZEIRO 0
Dida; Odemilson, Júnior, Rogério e Nonato; Ademir, Pingo, Ricardinho (Missinho) e Luiz Fernando Gomes; Marcelo Ramos (Cleison) e Maurício. Técnico: Antônio Lopes

CALDENSE 1
Zé Luiz; Edinho, Tobias, Zigomar e Ronaldinho; Fusquilo, Marcão, Gutty e Fernandinho (Vantuir); Walter Lins (Eduardo) e Zé Luiz Boscolo. Técnico: Ailton Lira

DATA: 25 de fevereiro de 1995
ESTÁDIO: Mineirão
CIDADE: Belo Horizonte
MOTIVO: 6ª rodada do Campeonato Mineiro de 1995
GOL: Vantuir, aos 44 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Antônio William Gomes, auxiliado por Waldir de Nascimento Pereira e Walter Justino dos Reis
PÚBLICO: 2.687
RENDA: R$ 12.192,00