Depois de mais de uma década longe do Mineirão o clássico entre Atlético e Santos volta ao Gigante da Pampulha nesta terça-feira (26), com os dois clubes se enfrentando às 20h em partida adiada da 28ª rodada da Série A do Campeonato Brasileiro.

E uma dúvida que cerca o confronto é a participação ou não, mesmo que no banco de reservas, do personagem do último jogo entre os dois clubes no estádio: o atacante Diego Tardelli. Ele está recuperado de uma grave lesão, já treina há mais de um mês com o grupo na Cidade do Galo, mas o técnico Jorge Sampaoli não tem relacionado o ídolo atleticano nos últimos jogos, por achar que ele ainda não está totalmente pronto para jogar.

Diego tardelli 2010 AtléticoDiego Tardelli comemora um dos três gols que marcou no último jogo entre Atlético e Santos no Mineirão

Em 28 de abril de 2010, Galo e Peixe abriram no Mineirão uma das quartas de final da Copa do Brasil. O Atlético vinha empolgado, sob o comando de Vanderlei Luxemburgo, pois tinha encaminhado o título mineiro três dias antes com a vitória por 3 a 2 sobre o Ipatinga, no Vale do Aço, na partida de ida da decisão do Campeonato Mineiro.

No mesmo dia (25/4/2010), o Santos tinha saído na frente na final paulista conquistando o mesmo placar sobre o Santo André, no Pacaembu. Mas neste confronto perdeu uma das suas estrelas, o então garoto Neymar, que machucou o olho num lance de pênalti que não foi marcado sobre ele.

A partida empolgou a Massa e foram 46.239 os pagantes no Gigante da Pampulha naquela noite. E ele vibraram com um inspirado Diego Tardelli, que chegou a fazer o Atlético abriu 2 a 0 no placar com gols aos 3 e 40 minutos do primeiro tempo. No final da primeira etapa, Robinho diminuiu.

Logo aos 7 minutos do segundo tempo, Tardelli fez 3 a 1, mas Edu Dracena decretou o placar final aos 36.

Diego tardelli Atlético Santos 2010Diego Tardelli foi o grande nome do último jogo entre Atlético e Santos, no Mineirão

Além dos três gols, Diego Tardelli, que formava dupla de ataque com Muriqui, levou pânico ao setor defensivo santista em vários momentos, num dia em que o Galo poderia ter conquistado uma vantagem maior, principalmente pela força do adversário.

Provocação

Em 2 de maio, Atlético e Santos garantiram o título estadual, mas na comemoração santista foi colocada uma pimenta para o jogo de volta, três dias depois, na Vila Belmiro. Na festa pelo título, Robinho e Neymar pegaram o microfone e cantaram: “Ô Vanderlei, pode esperar, a sua hora vai chegar!”.

Luxemburgo ficou irritado, disse que esse tipo de postura ajudava a criar cenários para a violência no futebol, e foi à Vila Belmiro jogando pelo empate.

Mas com Neymar, Robinho e Paulo Henrique Ganso inspirados, o Galo foi presa fácil para o Peixe, que teve grande atuação, venceu por 3 a 1 e seguiu na sua caminhada que terminaria com o título da competição.

Na metade 2010, o Mineirão foi fechado para reforma, pois foi uma das sedes das Copas das Confederações (2013) e do Mundo (2014). A partir de 2012, todos os jogos em que o Atlético foi mandante contra o Santos foram disputados no Independência.

A FICHA DO SHOW DE TARDELLI

ATLÉTICO 3
Aranha; Carlos Alberto, Werley, Jairo Campos e Júnior; Zé Luis, Correa (Jonílson), Fabiano (Renan Oliveira) e Ricardinho (Leandro); Diego Tardelli e Muriqui. Técnico: Vanderlei Luxemburgo

SANTOS 2
Felipe; George Lucas (Maranhão), Edu Dracena, Durval e Pará; Arouca, Wesley, Marquinhos (Rodrigo Mancha) e Paulo Henrique Ganso; Robinho e André (Zé Eduardo). Técnico: Dorival Júnior

DATA: 28 de abril de 2010
ESTÁDIO: Mineirão
CIDADE: Belo Horizonte
MOTIVO: Jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil
GOLS: Diego Tardelli, aos 3 e 40, e Robinho, aos 44 minutos do primeiro tempo; Diego Tardelli, aos 7, e Edu Dracena, aos 36 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Heber Roberto Lopes, auxiliado por Ivan carlos Bohn e Bruno Boschillia, todos do Paraná
CARTÃO AMARELO: Zé Luis (Atlético); Pará e Arouca (Santos)
PÚBLICO: 46.239 pagantes
RENDA: R$ 1.003.460,00