O Cruzeiro é o único clube brasileiro a ter bicampeonato em sequência em duas competições nacionais diferentes. E as façanhas são recentes, pois aconteceram na Série A do Campeonato Brasileiro, em 2013 e 2014; e na Copa do Brasil, em 2017 e 2018.

E a lista de bicampeonatos nacionais em sequência da Raposa poderia ser maior, mas na primeira vez em que a dobradinha era possível, o grande time de Tostão, Dirceu Lopes, Piazza, Raul e Natal, entre outros, parou justamente no Náutico, adversário deste domingo (25), às 16h, no Estádio dos Aflitos, no Recife, em partida válida pela 18ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro.

cruzeiro

O grande time do Cruzeiro, que foi tricampeão mineiro em 1967, caiu nas semifinais da Taça Brasil daquele ano, quando buscava o bicampeonato em sequência da competição, diante do Náutico

Como campeão da Taça Brasil de 1966, o Cruzeiro entrou na edição seguinte do torneio já nas semifinais.

O adversário cruzeirense foi decidido numa melhor de três entre Náutico e Atlético, nas quartas de final. Sim, o maior clássico mineiro poderia ter decidido uma vaga na decisão da Taça Brasil de 1967. O problema é que isso não foi combinado com os pernambucanos, que venceram a primeira partida contra o Galo, na Ilha do Retiro, por 3 a 0, perderam a segunda, no Mineirão, por 2 a 0, e se classificaram, pelo melhor saldo de gols, com um 2 a 2 no jogo desempate também disputado no Gigante da Pampulha.

Nesta terceira partida, o Timbu perdeu dois pênaltis, um no tempo normal, que foi defendido por Hélio, e outro na prorrogação, com a bola sendo chutada no travessão.

Dividido

As semifinais entre Cruzeiro e Náutico aconteceram na reta final da temporada de 1967, num momento em que a Raposa brigava com o Galo pelo título do Campeonato Mineiro.

Dez dias depois do famoso 3 a 3 entre Cruzeiro e Atlético, que chegou a abrir 3 a 0 aos 15 minutos do segundo tempo, e tinha um jogador a mais em campo, os cruzeirenses receberam os pernambucanos no Gigante da Pampulha. E venceram por 2 a 1.

A segunda partida entre os dois clubes foi disputada quando o Cruzeiro já sabia que decidiria o Estadual contra o Atlético, em janeiro de 1968, numa melhor de três, pois eles tinham terminado o torneio empatados em pontos.

E o Náutico, jogando na Ilha do Retriro, fez 3 a 0, forçando o terceiro jogo, que ficou 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação, com os pernambucanos se classificando pelo melhor saldo de gols e tirando do Cruzeiro a chance de ser bicampeão da Taça Brasil. A decisão foi contra o Palmeiras

Palmeiras

O Palmeiras foi o campeão da Taça Brasil de 1967, vencendo a terceira partida decisiva, no Maracanã, por 3 a 0, em 29 de dezembro, depois de cada um ganhar como visitante.

Antes, o Verdão já tinha conquistado o Torneio Roberto Gomes Pedrosa, o Robertão, levando a melhor num quadrangular decisivo em ida e volta que contou ainda com Corinthians, Internacional e Grêmio.

Assim, o Palmeiras foi bicampeão nacional no mesmo ano, mas em competições diferentes. Bi, no mesmo torneio, o clube paulista foi apenas no Brasileirão, em 1972 e 1973; e 1993 e 1994.

Os dois bicampeonatos do Cruzeiro, no Brasileirão e na Copa do Brasil, são um feito inédito, e ele poderia ser maior caso o Náutico não tivesse tirado o maior esquadrão da história celeste da decisão da Taça Brasil de 1967.