O Campeonato Mineiro de 1956 foi dividido entre Atlético e Cruzeiro do início ao fim. Como cada um venceu um turno, decidiram o título numa melhor de três partidas.

Com o lateral-esquerdo Haroldo machucado, o técnico atleticano Délio Neves escalou o reserva Laércio nas duas primeiras partidas, quando venceu a primeira e empatou a segunda. Foi aí que os problemas começaram.

Três dias após o segundo confronto, o Cruzeiro denunciou o Departamento Técnico da FMF por dar condições de jogo a Laércio, que não havia cumprido suas obrigações militares e foi inscrito com um exame médico no lugar do certificado de dispensa do Exército.

O Cruzeiro entrou com recurso no Tribunal de Justiça Desportiva (TJD) pedindo os pontos do empate da segunda partida, já que o prazo para protelar os pontos do primeiro jogo havia expirado.

O TJD, por seis votos a zero, rejeitou o pedido, entendendo que o Atlético não poderia ser punido por um erro da FMF.

Na terceira partida, em 2 de junho, o Atlético teve a volta de Haroldo e venceu com um gol de Vaduca. A torcida comemorou o pentacampeonato, que era inédito na história do clube, mas a polêmica em torno do Estadual de 1956 estava longe do fim.

O Cruzeiro recorreu ao STJD e ganhou os pontos da segunda partida, o que deixou a decisão empatada e o título indefinido.

O STJD obrigou a FMF a marcar um quarto jogo. Aí foi o Atlético que recorreu, mas o tribunal manteve sua decisão.

O alvinegro apelou ao Conselho Nacional do Desporto (CND). Em outubro de 1958, a FMF definiu pela realização da quarta partida, mas o Atlético obteve uma liminar para não disputar o jogo.

A questão só foi resolvida após a CBD ameaçar os clubes pertencentes a federações estaduais com títulos sub judice de não participar do primeiro Campeonato Brasileiro, em 1959. Em 29 de março de 1959, ambos foram proclamados campeões mineiros de 1956.

AS FICHAS DOS JOGOS


CRUZEIRO 1 X 1 ATLÉTICO
CRUZEIRO: Genivaldo; Vavá e Nozinho; Adelino, Lazzarotti e Pireco; Chiquinho, Nilo, Pelau, Guerino e Raimundinho. Técnico: Airton Moreira.
ATLÉTICO: Zeca; William e Afonso; Benito, Ílton e Laércio; Murilo, Tomazinho, Vaduca, Toledo e Amorim. Técnico: Délio Neves.
DATA: 23 de maio de 1957
LOCAL: Estádio Independência
GOLS: Tomazinho (A); Nilo (C)
ARBITRAGEM: Geraldo Toledo, auxiliado por José Gonçalves Lages e Alcebíades Dias
RENDA: Cr$ 269.410,00

ATLÉTICO 0 X 0 CRUZEIRO
ATLÉTICO: Zeca; William e Afonso; Benito, Ílton e Laércio; Murilo, Tomazinho, Vaduca, Toledo e Amorim. Técnico: Délio Neves.
CRUZEIRO: Genivaldo; Vavá e Gérson; Adelino, Lazzarotti e Pireco; Chiquinho, Nilo, Pelau, Guerino e Cabelinho. Técnico: Airton Moreira.
DATA: 26 de maio de 1957
LOCAL: Estádio Independência
ARBITRAGEM: Willer Costa, auxiliado por Geraldo Toledo e José Lages
PÚBLICO: 12.599
RENDA: Cr$ 363.640,00

ATLÉTICO 1 X 0 CRUZEIRO
ATLÉTICO: Zeca; William e Afonso; Benito, Ílton e Harldo; Murilinho, Tomazinho, Vaduca, Toledo e Amorim. Técnico: Délio Neves.
CRUZEIRO: Genivaldo; Vavá e Gérson; Adelino, Lazzarotti e Pireco; Pelau, Nilo, Gilberto, Guerino e Chiquinho. Técnico: Airton Moreira.
DATA: 2 de junho de 1957
LOCAL: Estádio Independência
GOL: Vaduca, aos 40 minutos do segundo tempo
ARBITRAGEM: Willer Costa, auxiliado por Armando Gregori e Ademar Russo
PÚBLICO: 19.681
RENDA: Cr$ 569.830,00