A disputa entre Atlético e América pelo título do Campeonato Mineiro de 2021, que começa neste domingo (16), às 16h, no Independência, vai terminar com um capítulo especial na carreira escrito por um dos dois treinadores. Isso porque a taça vale muito para o atleticano Cuca e o americano Lisca.

Dono da vantagem de jogar a decisão por dois empates ou vitória e derrota pela mesma diferença de gols, o comandante alvinegro tenta se aproximar de Levir Culpi, o maior vencedor do Campeonato Mineiro com cinco taças, erguidas em 1995, 2007 e 2015, com o Atlético; e em 1996 e 1998, com o Cruzeiro.

Cuca e LiscaCuca busca seu tetracampeonato individual no Campeonato Mineiro, enquanto Lisca tenta a sua primeira taça

Já o técnico americano busca lugar numa lista que tem apenas seis nomes na Era do Profissionalismo, iniciada em 1933, a de treinadores que conduziram o Coelho ao título mineiro.

100%

Com as três taças do Módulo I que tem, num tricampeonato pessoal, conquistado com o Cruzeiro, em 2011, e Atlético, em 2012 e 2013, Cuca decide a edição do Campeonato Mineiro  de 2021 buscando manter seus 100% de aproveitamento na competição no que se refere a título.

Se conseguir,  empata com Ílton Chaves, que fez história no futebol mineiro como jogador e treinador. Nesta função, comandou a Raposa num tricampeonato, em 1972, 1973 e 1974, e completou o tetra pessoal com o Galo, em 1986.

O tri em série do atual treinador alvinegro no início da década passada foi alcançado também por Procópio Cardozo, com o Atlético, em 1978, 1979 e 1980, nas três primeiras taças do hexa, maior sequência de títulos do Campeonato Mineiro no Profissionalismo.

Procópio, inclusive, reivindica o tetra, pois revela que na decisão de 1977, após a derrota cruzeirense no primeiro jogo, coube a ele armar a equipe que derrotou o Atlético nas duas partidas seguintes para a conquista de uma taça que está no currículo de Yustrich, que assim como Ílton Chaves também é tetra.

Além de levar o Cruzeiro, oficialmente, ao título de 1977, ele tinha vencido o Estadual antes com o América (1948), Atlético (1952) e Siderúrgica (1964). O time de Sabará ganhou a última taça antes da Era Mineirão.

Lisca

Yustrich abre a lista que Lisca tenta colocar seu nome a partir deste domingo, a dos técnicos campeões mineiros com o América. O registro de treinador, no caso do Coelho, não existe no decacampeonato, entre 1916 e 1925, ainda na Era do Amadorismo, quando os times eram dirigidos por uma Comissão Técnica, muitas vezes formada por jogadores ou contando com a participação de alguns deles.

Depois de 1925, o Coelho só foi vencer a competição em 1948, sob o comando de Yustrich. Depois, foram mais cinco taças, com os seguintes treinadores: Arthur Nequessaurt (1957), Henrique Frade (1971), Pinheiro (1973), Lula Pereira (2001) e Givanildo Oliveira (2016).

Este é o enredo individual que os dois comandantes terão na decisão do Estadual, com Cuca tentando manter seus 100% de aproveitamento em títulos e Lisca um lugar na seleta lista americana.