O VAR foi duplamente cruel com o América no jogo de volta das semifinais do Campeonato Mineiro contra o Cruzeiro, na noite deste sábado (6), no Mineirão. Logo aos 7 minutos, Felipe Azevedo abriu o placar para o Coelho, mas o lance foi invalidado, por toque de mão, pelo árbitro de vídeo, depois de mais de cinco minutos de análise. O lance acabou por “acordar” o time de Mano Menezes, até então apático em campo. O resultado foi a goleada cruzeirense por 3 a 0, com a Raposa garantindo presença na decisão do Estadual.

O adversário do Cruzeiro será definido neste domingo (7), na partida entre Atlético e Boa Esporte, às 16h, também no Gigante da Pampulha. Após o empate sem gols na ida, em Varginha, o Galo entra em campo precisando apenas de nova igualdade para fazer, pelo terceiro ano consecutivo a decisão do Campeonato Mineiro com o seu maior rival.

Antes de iniciar a decisão estadual, o Cruzeiro tem jogo importante pela Copa Libertadores na próxima quarta-feira (10), quando recebe o Huracán, da Argentina, às 19h15, no Mineirão, pela quarta rodada do Grupo B da competição. Uma vitória garante o time de Mano Menezes nas oitavas de final matematicamente. E se na quinta-feira (11), o Deportivo Lara, da Venezuela, não vencer o Emelec, do Equador, em Guaiaquil, a primeira posição da chave já estará assegurada pela Raposa.

O jogo

A análise do lance do gol anulado do América terminou aos 12 minutos, com Felipe Azevedo recebendo cartão amarelo por ter empurrado a bola para a rede de Fábio usando a mão. Aos 14, após um rebote na área, Lucas Silva pegou a bola pela esquerda e deu um passe perfeito para Léo que vinha na corrida e fuzilou, de cabeça, Fernando Leal.

Mais cinco minutos, e Edílson roubou uma bola de Marcelo Toscano na intermediária de defesa americana, foi ao fundo e cruzou na cabeça de Fred, que acertou o canto esquerdo baixo de Fernando Leal, decretou o 2 a 0 e si isolou ainda mais na artilharia do Campeonato Mineiro, agora com 11 gols.

A partir daí, com o confronto decidido, pois o América necessitaria de no mínimo quatro gols para ser finalista, a partida ganhou a característica da tranquilidade cruzeirense e dúvida americana.

E a dúvida era justamente buscar a missão impossível ou não descuidar do sistema defensivo para não correr o risco de sofrer uma goleada.

E assim foi seguindo o jogo, definido com apenas 20 minutos, mas com quase 80 ainda disputados somando-se os acréscimos.

Na reta final, depois de o América incomodar em chutes de longa distância que exigiram duas ou três boas defesas de Fábio, e o time do Cruzeiro esbanjar qualidade em campo, Rafinha fechou o placar aos 42 minutos do segundo tempo, concluindo um contra-ataque que ele mesmo iniciou após passe de Raniel.

A FICHA DO JOGO

CRUZEIRO 3

Fábio; Edílson, Dedé, Léo e Egídio; Lucas Romero e Lucas Silva (Ariel Cabral); Robinho, Rodriguinho (Jadson) e Rafinha; Fred (Raniel).

Técnico: Mano Menezes

AMÉRICA 0

Fernando Leal; Leandro Silva, Paulão, Diego Jussani e João Paulo; Zé Ricardo e Christian; Felipe Azevedo (Carlos França), Matheusinho e Marcelo Toscano (Neto Berola); Júnior Viçosa (Jonatas Belusso).

Técnico: Givanildo Oliveira

DATA: 6 de abril de 2019

MOTIVO: Jogo de volta da semifinal do Campeonato Mineiro

LOCAL: Mineirão

CIDADE: Belo Horizonte

GOLS: Léo, aos 14, e Fred, aos 19 minutos do primeiro tempo;  Rafinha, aos 42 minutos do segundo tempo

ARBITRAGEM: Leandro Vuaden, auxiliado por Celso Luiz da Silva e Anderson José de Moraes Coelho

CARTÕES AMARELOS: Felipe Azevedo, Zé Ricardo (América)

PÚBLICO: 31.706 pagantes

RENDA: R$ 602.177,00