O início de trajetória no Campeonato Brasileiro da Série B foi preocupante para o torcedor do Cruzeiro. Atuações e resultados ruins culminaram com a presença da equipe celeste na zona de rebaixamento em várias rodadas. 

Entretanto, a chegada do técnico Vanderlei Luxemburgo, no início de agosto,  foi fator determinante para a recuperação do time estrelado na competição. 

Com Luxa, são quatro vitórias e quatro empates. Somados a mais dois empates ainda sob o comando de Mozart, os azuis estão há dez jogos sem perder na Segunda Divisão. 

Com essa série invicta, o Cruzeiro deixou o Z-4 e abriu seis pontos para o primeiro time dentro do grupo do quatro últimos que serão rebaixados à Série C, que neste momento é o Vitória. 

Consolidado na equipe titular, o volante Adriano citou a mudança de postura do elenco para conseguir a recuperação no campeonato. 

“Colocamos na cabeça que não podemos mais perder pontos bobos. A gente também vem batalhando muito dentro de campo e nos treinamentos também para que possamos errar o menos possível nos jogos. Graças a Deus estamos vindo nessa sequência boa”, disse o meio-campista, em entrevista às mídias oficiais da Raposa, nesta terça-feira (14).

Presença do público

Apesar do importante respiro na luta contra o rebaixamento, o Cruzeiro ainda vê o acesso, principal objetivo da temporada, muito distante.

Com 29 pontos, na 13ª colocação, a equipe celeste está a onze pontos do CRB, que neste momento abre o G-4. 

Um dos fatores que pode auxiliar diretamente os comandos de Luxemburgo a subirem na tabela é a presença de público.

Beneficiado com uma liminar junto ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), o time celeste atuou com torcida nos dois últimos jogos como mandante e colheu os frutos dentro de campo. 

Primeiro, venceu o Confiança, no Mineirão, no dia 20 de agosto, pela 20ª rodada.  Já no último sábado, bateu a Ponte Preta, novamente por 1 a 0, pela 23ª rodada, dessa vez na Arena do Jacaré. 

Nesta quinta, novamente em Sete Lagoas, terá novo encontro com os cruzeirenses, no duelo com o Operário, às 19h. 

Cria da base celeste,  Adriano, de 21 anos, reconheceu os benefícios de atuar diante de seu torcedor, após um longo período apenas com jogos com portões fechados. 

“Com certeza é um ânimo a mais, né? A gente viu esses jogos com torcida, a gente sentiu dentro de campo que foi diferente também o apoio da torcida, o calor ali, isso motiva muito mais a gente dentro de campo”. 

Leia mais
Após ‘sacrifício’ contra a Ponte, dupla de ataque titular deve iniciar jogando contra o Operário
Mais de dois meses após rescindir com o Cruzeiro, Dedé vai ao Volta Redonda aprimorar a forma
Marco Antônio vibra com chances e revela papo com dupla experiente para adaptação à nova função