Ainda sem concretizar a contratação de reforços para a próxima temporada, a diretoria do Cruzeiro trabalha nesta reta final de 2018 sem medir esforços para trazer o atacante Bruno Henrique, atualmente no Santos. Desejo antigo do vice-presidente Itair Machado, o avante é alvo do dirigente desde o começo do ano. 

“No primeiro dia de trabalho do Itair (Machado) no Cruzeiro, ele me ligou e falou que tinha interesse no Bruno (Henrique), isso em janeiro. Uma coisa inviável pelo momento, e ele sempre com essa visão de pensar o que ninguém pensa que pode acontecer”, disse o empresário e ex-zagueiro Dênis, responsável por cuidar da carreira do camisa 11 santista, em entrevista ao programa Bate Papo Esportivo, da TV Horizonte.

Caso queira mesmo que Bruno Henrique vista a camisa do Cruzeiro em 2019, Itair Machado terá que ser “criativo”.

“Criatividade do negócio, né. O diretor de futebol ganha bem para isso, para criar essas alternativas para o clube, para formar um time forte”, complementou Dênis.

Thiago Neves vai, Bruno Henrique vem?

Incluir o meia Thiago Neves, que interessa ao próprio Santos, mas também está na mira de Corinthians e Grêmio, pode ser um trunfo e uma alternativa. Porém, há um empecilho que pode tornar essa “criatividade” em barreira.

Segundo apurou o Hoje em Dia, o Santos acredita que é viável trocar Bruno Henrique por Thiago Neves. No entanto, o próprio meia pode preferir outra situação, já que o Grêmio disputará a Copa Libertadores do ano que vem, está mais organizado nos bastidores e tem como técnico um grande conhecido do jogador: Renato Gaúcho, treinador do próprio Thiago quando ele vestiu a camisa do Fluminense e foi vice-campeão continental, em 2008.

Acho que isso que falta nos diretores, essa ousadia, essa agressividade. E ele foi agressivo, não conseguiu fazer o negócio, era inviável, mas até hoje ele fala publicamente que tem essa vontade. Existe essa possibilidade, mas o Bruno tem contrato no Santos, é uma situação que não é fácil, uma operação que não é fácil. É como se falasse em tirar o Arrascaeta do Cruzeiro, é muito difícil, muito dinheiro, envolve uma série de situações. Mas existe a possibilidade, e essas especulações que tem no mercado, muitas são verdadeiras outras falsas, mas essa é uma situação concreta, é verdade e pode acontecer”, explicou Dênis ao Bate Papo Esportivo.

Casa de R$ 1,6 milhão

Natural de Belo Horizonte, Bruno Henrique cresceu no bairro Concórdia, na região Nordeste da cidade. E o seu vínculo com a capital mineira faz o jogador ainda manter raízes por aqui. Tanto que comprou uma casa por valor milionário em Lagoa Santa, município da Região Metropolitana. Para adquirir esse imóvel, um apartamento de cobertura também em BH, mas no bairro Floramar, na Região Norte, entrou no negócio.

Houve ainda uma exigência por parte do comprador, no caso o atleta, de que os antigos moradores deixassem o imóvel em até 15 dias, o que já aconteceu.

Fontes ouvidas pela reportagem confirmaram a compra, mas disseram que o negócio não tem ligação com o interesse do Cruzeiro. No entanto, caso volte para BH, Bruno Henrique já tem um local para morar com a família.

“Ele está realizado lá (no Santos), porque voltou e fez uma temporada muito boa. Mas o jogador está sempre aberto para novos negócios, porque o mercado se movimenta muito, não é impossível disso acontecer (vir para o Cruzeiro), mas é uma situação difícil, mas é possível”, garantiu Dênis.