O duelo entre Atlético x Bahia, marcado para as 11 h de amanhã, colocará o alvinegro frente a frente com um ex-técnico do clube, curiosamente demitido após derrota para os baianos, também no Independência, palco do embate válido pela 16ª rodada do Campeonato Brasileiro.

No Tricolor desde abril, Roger Machado teve o fim da linha decretado no Galo justamente quando foi superado pelo atual clube, por 2 a 0, em julho de 2017. Na ocasião, os gols da partida foram marcados pelo volante Juninho.

“Saio do Atlético com 63% de aproveitamento, ganhando o título Mineiro, bem posicionado nas oitavas de final da Libertadores e com vantagem diante do Botafogo, nas quartas de final da Copa do Brasil”, destacou o técnico em sua última entrevista em Minas Gerais. Naquele momento, a equipe acumulava quatro derrotas em oito jogos disputados como mandante na Série A.

De volta ao presente
Se a despedida foi aos gritos de “time sem vergonha”, o reencontro de Roger com a torcida atleticana será num cenário de calmaria. Sonhando com o título da Sul-Americana – torneio no qual está a um empate da semifinal – e na quinta colocação do Brasileiro, o Atlético vive seu melhor momento na temporada e tem apoio total vindo das cadeiras.

Desta vez, agora como adversário, Machado poderá levar o Bahia à primeira vitória como visitante, encostar no pelotão de frente e, de quebra, tirar os mineiros da faixa de classificação para a Libertadores.

Isso acontecerá se, além de derrotado no Horto, Corinthians e Internacional vencerem os respectivos confrontos fora de casa, contra Avaí e Goiás. “A gente sabe que o Atlético vai nos pressionar no início. Habitualmente, ele tenta abrir o placar no primeiro tempo. Rodrigo é um amigo, um cara extremamente organizado, vem jogando com jogadores leves, que puxam velocidade, têm um controle de bola e uma bola aérea forte. Fator local é importante. Temos que estar preparados”, destacou o técnico do Bahia em entrevista concedida na manhã de ontem, ainda em Salvador.

Time alternativo
Focado na partida de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana, quando encara o La Equidad, terça-feira, em Bogotá, o técnico Rodrigo Santana deve mandar a campo um time praticamente reserva nesta rodada do Brasileirão.

Para superar o amigo Roger Machado, Santana tende a selecionar como titulares: Cleiton; Patric, Igor Rabello, Leonardo S[/TEXTO]ilva e Lucas Hernández; Ramón Martínez; Otero, Nathan, Luan (Vinícius ou Cazares) e Geuvânio; Alerrandro (Papagaio).