A manhã foi especial para o Internacional neste domingo. Em meio às homenagens a Fernandão pelo primeiro aniversário da morte do ídolo, o time colorado derrotou o Coritiba por 2 a 0, com uma atuação segura no Beira-Rio. O desempenho, principalmente de dois jogadores, agradou o técnico Diego Aguirre, que só lamentou a queda de produção no segundo tempo.

"O Inter controlou os 90 minutos. Poderíamos ter jogado com mais intensidade na segunda parte, fazer mais um gol, mas controlamos. Acho que foi um bom jogo. Anderson fez uma boa partida, como vários outros jogadores. O Artur foi excelente, mais um menino que pode ir para a seleção. Fiquei feliz, ele ganhou uma oportunidade e está ajudando o time. A partida do Inter foi boa", comentou.

A atuação de Artur, aliás, foi um capítulo a parte. O jovem de apenas 20 anos foi promovido às pressas à titularidade depois que Geferson, convocado para a seleção brasileira, se tornou desfalque. O próprio Geferson, no entanto, já havia sido um "plano B" do Inter para a vaga que era de Fabrício, que acabou dispensado.

"É uma temporada muito longa, aconteceram coisas inesperadas, teve o Fabrício... Aí, o Geferson jogou no Gaúcho e foi muito bem. Agora, o Geferson foi para a seleção e temos mais um menino pronto (Artur). Então, quero destacar mais uma vez o trabalho do Inter na base. Quero destacar o grande trabalho", comentou Aguirre.

O treinador ainda falou sobre as homenagens a Fernandão, um dos maiores ídolos da história do Inter, que morreu há um ano. Uma missa foi celebrada antes da partida e no nono minuto de jogo os torcedores aplaudiram o ex-atacante, que usava justamente o número 9. Isso sem contar os inúmeros cartazes e faixas lembrando o ex-atleta. "Falo com muito respeito. Foi bom fazer parte desta festa", apontou Aguirre.