Há exatos nove anos, o diretor-executivo Alexandre Mattos dava o passo mais importante da carreira, até aquele momento. Após seis temporadas no América, onde ganhou projeção no cenário da bola, ele foi anunciado para ser o "homem forte" do Cruzeiro e concedeu a primeira entrevista naquele  5 de março de 2012.

 "Eu diria que o trabalho vai conquistar as pessoas. O respeito e admiração vêm através do trabalho. Estou preparado e com muita vontade de trabalhar. Tenho certeza que vai ter empatia com o torcedor e ele é muito importante", destacou Mattos durante a coletiva de apresentação.

E deu certo. Pela Raposa, o diretor-executivo foi campeão mineiro e bicampeão brasileiro (2013 e 2014). Hoje, aos 44 anos, Mattos é considerado um dos melhores do país na função e acrescentou Palmeiras e Atlético ao currículo. No início de 2020, ele voltou ao Cruzeiro, mas como uma espécie de "mentor", mas não ficou por muito tempo na Raposa.

 No mesmo ano, também em março, ele acabou assinando com o rival alvinegro, onde participou de todo o processo de refomulação, findando com a terceira colocação no Campeonato Brasileiro. O dirigente foi contratado no dia 12, para ser o substituto de Rui Costa. Atualmente, Mattos está sem clube. Ele foi substituído por Rodrigo Caetano, assim que Sérgio Batista Coelho iniciou a gestão como novo presidente atleticano.