O ex-jogador uruguaio Alcides Eduardo Ghiggia faleceu nesta quinta-feira, em Montevidéu, aos 88 anos. O jogador marcou o gol do título da seleção do seu país contra o Brasil na Copa do Mundo de 1950. Exatamente 65 anos depois de se tornar o famoso carrasco do Brasil naquele Mundial disputado em casa, ele morreu em decorrência de uma parada cardíaca.

Ghiggia era o último jogador vivo que disputou a decisão daquela Copa, jogada no Maracanã exatamente no dia 16 de julho de 1950. O ex-ponta direita, de ascendência italiana, começou a carreira no Peñarol, onde jogou por cinco anos, até se transferir para a Itália, onde defendeu o Roma e o Milan. Antes de se aposentar, voltou ao seu país, onde defendeu também o Danúbio.

Ídolo no Uruguai e algoz no Brasil, Ghiggia fez o segundo gol da vitória por 2 a 1, de virada, na última rodada do quadrangular final da Copa do Mundo. A seleção brasileira jogava pelo empate e abriu o placar, com Friaça, já no segundo tempo. Schiaffino igualou e o então jogador do Peñarol anotou o gol que deu à Celeste o segundo título mundial.

Ghiggia esteve no Brasil durante a última Copa do Mundo, em 2014, durante eventos promocionais. No ano anterior participou dos sorteios dos grupos, realizado na Costa do Sauipe, na Bahia.