O Conselho Deliberativo do Cruzeiro vai apreciar, na noite desta terça-feira (3), o projeto de constituição do clube em Sociedade Anônima de Futebol (SAF). A proposta é pilar para que a instituição se torne um clube-empresa, vista pela atual diretoria como única solução para a grave crise financeira que a Raposa atravessa.

Um dos principais entusiastas do projeto não ocupa nenhum cargo na diretoria atual, mas tem um passado na administração do clube. Trata-se de Alvimar de Oliveira Costa, o Alvimar Perrella, que foi presidente do Cruzeiro entre 2003 e 2008.

Convidado pelo atual mandatário, Sérgio Santos Rodrigues, para ser um consultor nessa possível transição de modelo de gestão, Alvimar, conselheiro benemérito do clube estrelado, fez um apelo aos colegas para a aprovação da proposta.

“Eu apoio a SAF e tenho certeza de que o melhor caminho é que nosso Conselho vote pela aprovação. Na minha avaliação, esse projeto de lei chegou até tardiamente ao Brasil. Já na época em que conquistamos a Tríplice Coroa, em 2003, eu sentia uma pontinha de inveja de clubes europeus como o Benfica, que já operavam em sistema de Sociedade Anônima Desportiva. Mesmo chegando tardiamente ao nosso futebol, creio que essa é a nossa maior e talvez única esperança para que o Cruzeiro tenha um respiro maior e se recupere mais rapidamente”, disse Oliveira Costa, ao site oficial do Cruzeiro.

Com um cenário de quase R$ 900 milhões em dívidas, sendo parte delas com execução no curto prazo, a cúpula celeste vê na possibilidade de abertura de capital, que seria possível com a mudança para o modelo de clube-empresa, a principal solução para captar investimentos para sanar esses débitos.

Aprovado pelo Senado Federal em 14 de julho, o projeto do clube-empresa (5.516/2019) agora depende da sanção do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Leia Mais:
Após ter o retorno solicitado, goleiro Lucas França tem contrato com o Cruzeiro reativado no BID