O dia que universalmente celebra o trabalhador acabou deixando mais um treinador desempregado na ciranda do futebol brasileiro. Givanildo Oliveira não resistiu à derrota por 1 a 0 para o Botafogo-SP no Independência, pela segunda rodada da Série B do Brasileiro, e acabou dispensado pelo América, no que era sua quinta passagem à frente do Coelho (soma 123 vitórias, 68 empates e 67 derrotas). No cargo desde novembro, ele foi trazido para tentar salvar a equipe da queda na Série A, já num momento em que o rebaixamento era praticamente inevitável, e foi mantido para preparar a temporada de busca por novo acesso.

No Campeonato Mineiro, o Coelho chegou às semifinais, sendo eliminado pelo Cruzeiro (derrotas por 3 a 0 e 3 a 2). E apesar da necessidade da vinda de reforços para a competição nacional, a diretoria optou por aguardar o desenrolar da temporada para encorpar o grupo. O próprio Givanildo, no que foi sua última entrevista à frente da equipe, admitiu a urgência por contratações, o que pode ter desagradado o comando do clube.