O América não vem fazendo jus ao fato de estar na elite. Após três partidas seguidas sem vencer – dois empates com o Atlético, no Mineiro, e derrota para o Athletico-PR, no Brasileiro –, o Alviverde ficou no 0 a 0 com o Criciúma, no Independência, nesta quarta-feira (2), evidenciando uma das mais tradicionais facetas da Copa do Brasil, de que um time de uma divisão inferior – o Tigre está na Terceirona nacional – pode “engrossar o caldo” contra uma equipe de Série A.

Isso sem contar que o atacante Rodolfo, assim como se deu na final do Estadual, perdeu uma penalidade, desta vez no começo do embate, algo que, no fim das contas, foi crucial para o resultado.

O empate força o Coelho a vencer o duelo de volta, na próxima quarta-feira (9), às 21h30, no Heriberto Hülse, para obter a classificação às oitavas de final do torneio mata-mata.

Antes disso, o América tenta findar o jejum de vitórias – já são quatro jogos seguidos sem ganhar na temporada – no domingo (6), às 16h, no Horto, contra o Corinthians.

O jogo

O primeiro lance da partida era indício de que a sorte estaria do lado do América. Ledo engano! Depois de Ademir ser derrubado por Rodrigo na área com menos de um minuto de jogo, Rodolfo cobrou mal a penalidade, chutando para fora a grande chance do time na etapa inicial. Até o intervalo, o Coelho pouco criou, o adversário se defendeu bem, e o empate sem gols prevaleceu.

“É um jogo difícil e complicado. Mas acredito que no segundo tempo vamos voltar mais agressivos e sair com a vitória”, prometia Ademir.

O discurso não se concretizou. Embora tenha construído algumas situações ofensivas, o América parou na defesa adversária e não obteve seu objetivo. Mérito para Paulo Baier, que conseguiu montar um Criciúma competitivo, apesar das limitações e das dificuldades enfrentadas pelo time catarinense, rebaixado de divisão no Estadual e que, há pouco tempo, estava reformulando seu elenco.

A FICHA TÉCNICA

AMÉRICA 0
Matheus Cavichioli; Diego Ferreira, Ricardo Silva (Ramon), Eduardo Bauermann e Anderson; Zé Ricardo, Juninho (Ribamar) e Alê; Ademir (Kawê), Felipe Azevedo (Carlos Alberto) e Rodolfo (Bruno Nazário). Técnico: Lisca

CRICIÚMA 0
Gustavo; Claudinho (Moacir), Rodrigo, Marcel e Helder; Arilson, Dudu Vieira e Dudu; PH (Gabriel Henrique), Felipe Matheus e Uilliam Barros (Warley). Técnico: Paulo Baier

DATA: 2 de junho de 2021 
ESTÁDIO: Independência
CIDADE: Belo Horizonte (MG) 
MOTIVO: Terceira fase da Copa do Brasil
ARBITRAGEM: Leandro Pedro Vuaden, auxiliado por Jorge Eduardo Bernardi e José Eduardo Calza, todos do Rio Grande do Sul
CARTÕES AMARELOS: Zé Ricardo (América); Rodrigo, Dudu Vieira (Criciúma)

América