Atlético e América, que jogaram na última quinta-feira, contra Caldense e Uberlândia, respectivamente, e têm o mesmo número de pontos (15, cada), fazem o jogo mais importante da fase classificatória do Campeonato Mineiro neste domingo, às 16h, no Mineirão. E o clássico, além da importância na definição do líder da competição, tem como ingredientes escritas que amparam atleticanos e desafiam americanos.

A primeira delas é que o Coelho nunca venceu o Galo no novo Gigante da Pampulha, reinaugurado em fevereiro de 2013 para ser sede das Copas das Confederações e do Mundo disputadas no Brasil na primeira metade da última década.

América Atlético Mineiro 2020

O último dos cinco clássicos entre Atlético e América, no Mineirão, foi pelas semifinais do Campeonato Mineiro do ano passado, e o Galo venceu por 2 a 1

Como os dois clubes adotaram, a partir de 2012, o Independência como casa, são apenas cinco partidas entre Atlético e América no novo Mineirão. O histórico mostra quatro vitórias alvinegras e um empate com sabor especial para os alviverdes, no primeiro clássico entre eles na nova arena, pois valeu a conquista do título mineiro de 2016.

Professor

O segundo tabu a ser encarado pelo Coelho neste domingo está relacionado ao técnico Cuca, que nunca perdeu um clássico para o América no comando de Atlético ou Cruzeiro. Isso em sete confrontos, com o treinador carregando um retrospecto de quatro vitórias e três empates.

Essa história começa com ele dirigindo a Raposa, em 2011, quando teve uma vitória, na fase classificatória do Campeonato Mineiro, e um empate, na Série A.
Comandando o Atlético, foram mais cinco clássicos, com três vitórias de Cuca, sendo duas delas por goleada, e dois empates.

Para aumentar suas chances na briga pelo primeiro lugar geral da fase classificatória do Módulo I e assegurar a vantagem de dois empates ou vitória e derrota pela mesma diferença de gols na semifinal e na decisão, caso se classifique para ela, o América entra em campo neste domingo obrigado a derrubar duas escritas.