Já são cinco jogos sem vencer, com direito a goleada por 5 a 0 para o Avaí, na última rodada da Série B, e eliminação na Copa do Brasil para o ABC, na terça-feira (2). Nesse período, o treinador Adilson Batista ainda deixou o clube. Mas, apesar do momento conturbado do Vasco, os jogadores do América esperam um jogo difícil, sábado, às 16h10, no estádio Independência.

A última vitória vascaína aconteceu no dia 16 de julho, sobre o Ceará, por 2 a 0. Depois, o time carioca perdeu para o Vila Nova-GO (2 a 1), empatou com o Icasa (1 a 1), e foi goleado pelo Avaí (5 a 0). Pela Copa do Brasil, empatou com o ABC em 1 a 1 e foi eliminado da competição na última terça-feira ao perder por 2 a 1.

Focados, os jogadores americanos pregam respeito e não apontam a situação do adversário como um aspecto favorável. “Acho que é o contrário. Acompanhei o jogo contra o Avaí e outros pela Série B. O Vasco tem jogadores de qualidade. Será um jogo ainda mais difícil, porque eles vão querer recuperar o bom futebol. A gente precisa estar atento para não cometer erros e, assim, dar continuidade ao nosso bom momento”, pondera o goleiro Fernando Leal.

Apesar de as últimas partidas não terem sido as melhores para o Vasco, a equipe está somente um ponto atrás do América. No confronto, o time carioca será comandado pelo interino Jorge Luiz.

Para frustrar os planos de reabilitação da equipe cruzmaltina, o Coelho aposta no fator casa. Jogando no estádio do Horto, o Coelho continua invicto, sem sofrer gols e com 100% de aproveitamento na Série B.

“Vamos encontrar um Vasco machucado, não será um jogo fácil. O Vasco é uma agremiação respeitada”, reforça o meia Mancini. Na abertura da Série B, no estádio São Januário, as duas equipes empataram em 1 a 1.

“O Vasco é um time a ser batido. Temos que fazer um jogo impecável, com 100% de acerto para sairmos vitoriosos. Esses pontos para nós serão muito importantes na caminhada árdua para o acesso”, destaca o meia.