Em jogo que teve um primeiro tempo sonolento, fazendo jus ao dia e horário, e uma segunda etapa um pouco mais animada, na qual os mineiros perderam inúmeras oportunidades de gol, o América não saiu do empate sem gols com o Criciúma, na manhã deste sábado, no Heriberto Hülse, em Santa Catarina. 

Na estreia do técnico Maurício Barbieri, o Coelho marcou seu primeiro ponto na Série B do Brasileirão, em três rodadas, mas seguiu sem balançar as redes adversárias, já que vinha de duas derrotas por 1 a 0 - para o Operário, em Ponta Grossa, no Paraná, e para o Botafogo-SP, no Independência. 

O saldo positivo foi que, com o resultado, a equipe deixou, pelo menos momentaneamente, uma das últimas posições da tabela.

Apesar de montar um time compacto e com proposta mais ofensiva, Barbieri não obteve o êxito esperado e reclamou muito do comportamento dos jogadores, na etapa inicial. A melhor chance nos primeiros 45 minutos foi do Criciúma, com uma cabeçada do atacante Lúcio Flávio, que pegou no travessão.

Na metade final da partida, os catarinenses quase abriram o placar aos 22 minutos, mas, novamente, a bola bateu no travessão, em chute de Wesley, da pequena área. 

Na sequência, o América acordou, mas perdeu grandes oportunidades de bater o goleiro Paulo Gianezini, duas delas com Marcelo Toscano, que voltava de lesão. Outra chance clara de gol foi desperdiçada por França, que substituiu Neto Berola, em rápido contragolpe iniciado por Zé Ricardo.

O time mineiro terá nova chance de fazer o primeiro gol no Brasileirão no próximo domingo, quando recebe o Sport, no Independência.