Frustração e vergonha. Foram essas as sensações da torcida americana, na manhã deste sábado, na sexta derrota da equipe em nove rodadas da Série B do Brasileiro. Desta vez, o carrasco foi o Figueirense, que fez 4 a 0 no Coelho em pleno Independência. 

Mesmo com maior domínio do jogo, o time mineiro, reformulado pelo técnico Maurício Barbieri durante a intertemporada da Copa América, voltou a mostrar falhas gritantes em todos os setores. 

O adversário foi inteligente: jogou fechado, aproveitou as poucas oportunidades criadas e saiu com a goleada e os três pontos. Com o resultado, o América, com apenas 5 pontos, manteve-se na zona da degola do campeonato.

O Coelho levou o primeiro gol logo aos 7 do primeiro tempo, em falha coletiva da zaga e particular do goleiro Jori, embora tenha sido superior ao adversário ao longo dos 50 minutos. Prova disso foram os números da posse de bola: a equipe mineira teve mais de 70% do controle das ações - o que, no entanto, não se traduziu em lances de perigo contra o gol de Denis.

A jogada em que o Figueira abriu o placar foi resultado da primeira e única ação ofensiva do time catarinense durante a etapa. Victor Guilherme cobrou lateral na área, do lado esquerdo do ataque. Willian Popp aproveitou  deficiência na marcação e cruzou para Rafael Marques cabecear sem força. Contando com erro do goleiro americano, o ex-Botafogo balançou a rede e saiu para os abraços.

Dez minutos depois, o Coelho quase empatou: Michel Bastos faz belo cruzamento para Juninho, que cabeceou firme, no canto e pelo alto. Denis saltou e fez excelente defesa. Na sequência, o Figueirense armou um ferrolho na defesa que o América não conseguiu vencer.

Na segunda parte do jogo, os visitantes voltaram mais abertos, o que prometia ser boa notícia para os donos da casa. De fato, os mineiros até criaram boas chances, tentando explorar as qualidades do estreante Michel Bastos, por exemplo. Mas, assim como na primeira metade da partida, quem brilhou foi o Figueirense, que não vencia um jogo em BH havia seis anos.

O segundo gol catarinense foi marcado aos 29 minutos: William Pop entrou na área e rolou para o meio; Matheus Destro chutou e Jori defendeu, mas a bola pegou no travessão e caiu nos pés de Felipe Mateus, que fuzilou. Pouco depois, aos 34, William Popp, um dos melhores em campo, fez o terceiro, em belo chute de fora da área: 3 a 0. A tampa do caixão foi fechada por Robertinho, que acabara de entrar, aos 48 minutos. 


FICHA DO JOGO

AMÉRICA
Jori; Diego Ferreira, Paulão, Ricardo Silva, João Paulo; Willian Maranhão, Juninho (Geovane), Michel Bastos, Felipe Azevedo; Jonatas Belusso (Neto Berola), Rafael Bilu. Técnico: Maurício Barbieri.

FIGUEIRENSE
Denis; Victor Guilherme, Alemão, Ruan Renato, Matheus Destro; Zé Antônio, Betinho, Tony, Fellipe Mateus (Robertinho); Willian Popp (Juninho), Rafael Marques (Matheus Lucas). Tecnico: Hemerson Maria.

Gols: Rafael Marques, Felipe Mateus, William Popp e Robertinho.

Cartões amarelos: Victor Guilherme, Zé Antônio; Felipe Azevedo.

Árbitros: Lucas Paulo Torezin, auxiliado por Luciano Roggenbaum e Rafael Trombeta, todos do Paraná.

Renda:  R$ 15.832.
Público: 3.060 pagantes.