Teste para o time, para a torcida, para a arbitragem (que foi reprovada) e para o coração do torcedor, que segue firme na luta para sobreviver à difícil Série B. Neste domingo (25), o América passou por maus bocados e com uma dose extra de emoção bateu o Guarani, lanterna da Série B, por 3 a 2, no Independência. Com o triunfo, o Coelho conseguiu não só sair, como se distanciar da zona de rebaixamento.

A vitória sobre o Bugre levou o Coelho para o 13º lugar com 21 pontos, enquanto o time de Campinas continuou na última posição com 13. Agora, o alviverde vai respirar aliviado, mas só um pouco. É que já na quarta-feira (28), o América visita o São Bento, no interior paulista, em mais um duelo direto contra a degola. O jogo será às 19h15, no estádio Walter Ribeiro. No mesmo dia, o Guarani recebe o Londrina, no Brinco de Ouro da Princesa.

Até lá, o técnico do América, Felipe Conceição deve fazer, mais uma vez, com que seu time tente absorver as lições da suada vitória. É que apesar da superação, o elenco não mostrou um futebol tão vistoso. Prova disso foram os dois gols levados diante do time campineiro, que estava há mais de 300 minutos sem marcar.

Vacilo

No primeiro tempo, o Guarani abriu o placar de forma despretensiosa. Aos 15 minutos, Jori falhou em um chute de fora da área de Igor Henrique, em lance que seria defensável. A jogada esfriou a torcida americana, que começou a mostrar impaciência com o time.

Mas a manhã ontem era do artilheiro Júnior Viçosa. Foi ele que, aos 19 minutos da primeira etapa empatou o jogo para a equipe mineira e no início do segundo tempo marcou o tento da virada, convertendo um pênalti, aos seis minutos. Daí para frente, a partida ganhou contornos de filme de ação.

O América vinha dominando o jogo e o clima no Horto era de alegria com a futebol seguro que o Coelho vinha apresentando. Mas aos 29 minutos, João Paulo desviou de cabeça uma cobrança de falta de Thallyson e marcou contra.

O Bugre voltou a ficar na frente, mas o América sabia que não podia perder para o lanterna. Foi então que o time iniciou uma pressão, abafando a saída de bola paulista. Leandro Silva, Neto Berola e Júnior Viçosa eram os mais ativos, fazendo um verdadeiro inferno na defesa visitante.

Erro

Aos 44 minutos do segundo tempo o Coelho soltou o engasgado grito da vitória com o gol de Toscano, que desviou um levantamento de bola na área de Paulão, após rebote em cobrança de falta. Mas o grito foi contido por erro da arbitragem. O bandeira Fabiano da Silva Ramires marcou impedimento do jogador americano em lance regular.

Time e torcida foram à loucura. Como na Série B não há o árbitro de vídeo, a jogada que poderia facilmente ser corrigida pela tecnologia foi erroneamente invalidada. Mas valente, o Coelho não desistiu e foi premiado, aos 47 minutos, no finalzinho do jogo, com o gol de Flávio, o estreante.

Ainda teve tempo de Júnior Viçosa quase marcar o quarto, mas o zagueiro Bruno Souza tirou em cima da linha. Foi só mais uma das jogadas que testaram o emocional do torcedor, que saiu do Independência aliviado com o time em franca evolução na Série B.

Ficha do Jogo

AMÉRICA 3 x 2 GUARANI

Motivo: 18ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro Masculino 2019

Local: Independência, em Belo Horizonte (MG)

Arbitragem: Dyorgines José Padovani de Andrade (ES), auxiliado por Fabiano da Silva Ramires (ES) e Katiúscia Berger Mendonça (ES)

VAR: Não teve

Gols: Igor Henrique (GUA), aos 15 minutos, e Júnior Viçosa (AME), aos 22, do primeiro tempo; Júnior Viçosa (AME), aos 06, João Paulo (AME-contra), aos 29, e Flávio (AME), aos 47 da segunda etapa. 

Cartões Amarelos: Juninho, Willian Maranhão e Flávio, do América; Bruno Lima, Thallyson, Igor Henrique e Davó, do Guarani.

Cartão Vermelho: Não houve.

Público: 4.213

Renda: R$ 32.238,00

AMÉRICA

Jori, Leandro Silva, Paulão, Ricardo Silva, João Paulo, Juninho (Marcelo Toscano), Willian Maranhão, Geovane (Flávio), Matheusinho (Neto Berola), Felipe Azevedo e Júnior Viçosa.

Técnico: Felipe Conceição

GUARANI

Klever, Bruno Souza, Bruno Lima, Diego Giaretta, Thallyson, Deivid (Deivid Souza), Igor Henrique, Arthur, Bady (Filipe Cirne), Davó, Michel Douglas (Éder Luis).

Técnico: Thiago Carpini

Leia Mais:
América entra em campo com camisa cinza em campanha de alerta a incêndios florestais na Amazônia
Clubes brasileiros criticam possíveis punições por homofobia de torcedores