Para o técnico Givanildo Oliveira, o fato de Bahia, adversário no sábado (9), e Ceará, nesta terça-feira (12), não terem enfrentado um período de inatividade, pois disputaram a final da Copa do Nordeste e dos seus respectivos estaduais, foi um diferencial a favor dos dois nos confrontos contra o Coelho, que ficou de 5 de abril a 9 de maio sem entrar em campo.
 
Mas logo em seguida, o treinador caiu em contradição, ao afirmar que a sequência de jogos já está atrapalhando a armação da sua equipe.
 
"Jogamos hoje (terça). Amanhã (quarta-feira) não tem nada. O único dia para treinar é quinta-feira, pois na sexta de manhã já viajamos para jogar no Mato Grosso", afirmou Givanildo.
 
O treinador reclamou ainda do fato de alguns jogadores, como o atacante Cristiano, terem chegado muito tarde.
 
"Cristiano não fez um coletivo, pois nós jogamos no sábado e hoje (terça-feira) já teve jogo", reclamou Givanildo, que optou por colocar em campo o ex-jogador da Caldense, apesar de ter no banco de reservas o garoto Rubens, que participou de todo o período de mais de um mês de treinamento.
 
De toda forma, Givanildo sabe que a resposta precisa vir rápido. "Paciência no futebol não cabe muito não. Tem de ser de imediato. Temos de arrumar para voltar a ganhar", garantiu o comandante americano.