Luto para a torcida do América. Faleceu na madrugada desta terça-feira (24), o ex presidente do clube entre as décadas de 1980 e 90, Magnus Lívio Lucas de Carvalho. O corpo do ex dirigente americano será velado a partir das 17h, no Funeral House, e o sepultamento acontecerá nesta quarta-feira (25), no Bosque da Esperança, às 10h.

Lembrado pela história de resistência e reconstrução do América, a primeira passagem de Magnus Lívio como presidente do Coelho aconteceu entre 1988 e 1990. Era um momento complicado do clube, que passava por dificuldades financeiras. Com surgimento de bons valores, como Ronaldo Luiz, Palhinha e Euller, o Coelho dava sinais de respiro.

Outro momento marcante aconteceu em 1989, quando o América ficou responsável pela manutenção e administração do estádio Independência. O clube também promoveu a inauguração simbólica do Centro de Treinamento Lanna Drummond, local de treinos da equipe profissional até hoje.

Magnus assumiu a presidência novamente entre 1992 e 1994. Em um time que contava com nomes como Milagres, Flávio Lopes, Euler, Hamilton e Robson, o Coelho conquistou o título estadual em 1993, colocando fim a um jejum de 21 anos, o maior da história do clube. 

Magnus também ficou conhecido por enfrentar a CBF. Incorfomado com o critério de rebaixamento do Campeonato Brasileiro de 1993, o clube ingressou com uma ação na Justiça Comum contra a entidade máxima do futebol do país. Como troco, a CBF baniu o América de qualquer competição nacional federada pela instituição por quase três anos.