Pela segunda vez na carreira Ana Cláudia Lemos teve que olhar para a marcação da velocidade do vento para descobrir se, enfim, quebraria a barreira dos 11 segundos nos 100 metros. Mas novamente a brisa ajudou demais. Nesta terça-feira (21), na fase eliminatória dos Jogos Pan-Americanos de Toronto, a brasileira correu a distância em 10s96, avançou à semifinal, mas a marca não poderá ser homologada como recorde sul-americano.

Isso porque, no momento da largada, o vento no Estádio da Universidade de York era de 4,0 m/s, a favor, bem acima do limite de 2,0 m/s para a homologação. Isso já havia acontecido em 2013, em uma competição regional em Campinas.

"Venho treinando bem para correr abaixo dos 11s. Corri com vento, mas as coisas vão sair, é ter tranquilidade. Não adianta ficar se cobrando, é ter paciência, esperar e, quando se trabalha duro, as coisas chegam", afirma.

De qualquer forma, ficam boas expectativas para a semifinal e a final do Pan, nesta terça à noite. Ana Cláudia fez o segundo melhor tempo das eliminatórias, atrás apenas da norte-americana Barbara Pierre, que bateu o recorde da competição com 10s92. Rosângela Santos fez 11s08 na eliminatória (vento positivo de 1,6 m/s) e se aproximou do seu recorde pessoal: 11s04.

No masculino, entretanto, os brasileiros fizeram feio. Vitor Hugo dos Santos, de apenas 19 anos, tropeçou nas próprias pernas na segunda passada logo após a largada e terminou com 10s31, fora da semifinal.

"Bati meu pé esquerdo no direito e me desequilibrei. Não foi nervosismo, foi uma falha que nunca aconteceu comigo. Estava bem concentrado, não sei explicar o que aconteceu. Foi uma falha grande, que não dá para recuperar em uma prova que está bem forte", lamenta.

Já o veterano José Carlos Moreira, o Codó, de 31 anos, queimou largada na terceira bateria e foi eliminado. "Me desconcentrei, não estava à vontade no bloco. Segurou um pouco o tiro e, infelizmente, saí antes. Agora é dar continuidade, não baixar a cabeça. Hoje foi uma fatalidade", justifica.

Líder do ranking mundial na categoria juvenil há dois anos, Higor Alves começou bem sua primeira participação no Pan. Depois de falhar nas duas primeiras tentativas no salto em distância, acertou a terceira e, com 7,86m, avançou à final, que será à noite. Com 7,51m, Alexsandro de Melo, de apenas 19 anos, acabou eliminado

Nos 400m com barreiras, Jailma de Lima não conseguiu repetir o desempenho da irmã Jucilene, bronze no dardo, e ficou fora da final dos 400m com barreiras. Inscrita na prova após a CBAt entrar com recurso, a brasileira, que sequer tinha índice, terminou em sexto na sua bateria, com 58s72.