Acostumado a grandes embates ao longo de sua história, contra equipes tradicionais do futebol brasileiro e internacional, o Cruzeiro sempre foi visto como um gigante difícil de ser batido, temido nos sorteios e de presença indesejada para clubes de menor expressão. No entanto, após tantos desacertos dentro e fora de campo, o time celeste tem dado motivos para que os considerados ‘menores' possam sonhar e conquistar  grandes feitos. 

Nas duas últimas edições da Copa do Brasil, quase todos os adversários do Cruzeiro eram  da terceira e quarta divisão. A exceção foi o CRB, e a equipe mineira foi eliminada na terceira fase em ambas. Contra nenhuma delas, o Cruzeiro conseguiu jogar com tranquilidade, classificando em alguns jogos por meio do regulamento e até nos pênaltis. Há algum tempo as equipes menores já não se assustam mais. 

O CRB tem sido um desses vilões. Eliminou o Cruzeiro no ano passado na Copa do Brasil, empatou as duas partidas pela Série B daquela temporada e derrotou o Cruzeiro no Mineirão, este ano, pela segunda divisão. A Juazeirense, representante da Série D, fez história na última quarta-feira (9) ao conseguir a vaga nas oitavas da Copa do Brasil. Além de se classificar, a equipe baiana ainda se permitiu “brincar” com o Cruzeiro após o jogo nas redes sociais juntamente com o próprio CRB. 

Engana-se quem pensa, no entanto, que isso começou após a queda para a Série B. O próprio desenho do rebaixamento levou o Cruzeiro a chegar como favorito em diversas partidas e não conseguir jogar contra times menores. Faltando três rodadas para o fim da Série A em 2019, o CSA, virtualmente rebaixado, conseguiu ressurgir dentro do Mineirão diante da equipe celeste. A partir dali, o Cruzeiro não somaria mais nenhum ponto e seria rebaixado ao fim da competição.