Se o América virou uma das sensações da temporada do futebol brasileiro, graças à ótima campanha na Copa do Brasil e por ter conquistado o merecido acesso à Série A, muito se deve ao trabalho de Lisca, que, por meio da palavra de ordem “nós”, conseguiu transformar o grupo de jogadores, a diretoria e sua comissão técnica em uma unidade capaz de alcançar feitos históricos ao clube nesta temporada.

Ao fim do empate com o Náutico, nesta terça-feira (12), o comandante esbanjou toda a alegria pela conquista de uma vaga à elite nacional.

“Primeiro de tudo, eu queria mandar um grande abraço a todos os torcedores e familiares e às torcidas do Brasil inteiro que torceram para nós na Copa do Brasil. O América é um clube querido e de volta à Série A. Agora é para ficar. O América não pode mais ficar batendo e voltando. Para isso, precisa trabalhar muito. Mérito de todos os jogadores, da comissão técnica... Subimos com bastante antecedência”, disse ele.

Um prêmio a um treinador, conhecido e reconhecido por sua ‘loucura’ e por seu profissionalismo. Ao longo da temporada, recebeu várias propostas para deixar o clube – uma, inclusive, do rival Cruzeiro –, mas, acreditando no projeto do América, resolveu permanecer; esbravejou contra os vários erros cometidos pela arbitragem; e fez por merecer as glórias obtidas por todo o trabalho do dia a dia na temporada.

Bom para ele, bom para o Coelho, que, juntos, estão fazendo história. “Vamos buscar o segundo objetivo agora, o título. Bem difícil, jogos desgastantes, final de temporada. É série A! Beijão, até o ano que vem... (risos) Até a próxima temporada na Série A”, declarou.