O Cruzeiro deu mais um passo para manter vivo o sonho do tricampeonato da Copa Libertadores. O empate em 0 a 0 com o River Plate, nessa terça-feira (23), no estádio Monumental de Núñez, em Buenos Aires, deixa a equipe celeste em plenas condições de avançar no torneio.

Entretanto, para levar a vaga no duelo da próxima terça-feira (30), às 19h15, no Mineirão, o time estrelado terá que quebrar um incômodo jejum contra equipes argentinas. Nas seis oportunidades em que fez o jogo de ida nos países vizinhos, pela Libertadores, a Raposa não conseguiu o resultado que necessitava para alcançar o objetivo no torneio.

O primeiro revés veio em 1977, quando o Cruzeiro buscava o bicampeonato da competição. Após perder o jogo de ida da final com o Boca Juniors, em Buenos Aires, por 1 a 0, a equipe celeste devolveu o placar no Mineirão. No jogo de desempate, em campo neutro, em Santiago, no Chile, o Boca levou a melhor na disputa de pênaltis, após empate em 0 a 0 no tempo normal.

Em 2008, novo encontro entre a Raposa e time Azul y Oro, dessa vez pelas oitavas de final. Com duas vitórias por 2 a 1, o time argentino eliminou a Raposa.

Derrota dolorida

Nos seis confrontos em questão, sem dúvidas, o mais dolorido para o torcedor do Cruzeiro ocorreu em 2009. Após empatar em 0 a 0 no primeiro jogo da decisão contra o Estudiantes, em La Plata, o time estrelado foi derrotado por 2 a 1, no Mineirão, e ficou com o vice-campeonato.

Em 2014, a eliminação veio frente ao San Lorenzo, que se sagraria campeão do torneio, nas quartas de final. Depois de vencer por 1 a 0, em Buenos Aires, o time do Papa Francisco segurou o empate em 1 a 1, no Gigante da Pampulha, e avançou para a semifinal.

No ano seguinte, o rival nas quartas foi o próprio River Plate. Depois de vencer no Monumental por 1 a 0, com gol de Marquinhos, a Raposa perdeu por 3 a 0, em casa, e se despediu da competição.

O último revés frente a um time argentino veio no ano passado. Contra o Boca Juniors, o Cruzeiro perdeu o jogo de ida por 2 a 0, na Bombonera, e empatou em 1 a 1, no Mineirão, sendo eliminado novamente nas quartas de final.