Cruzeiro e América colocaram fim a um imbróglio que se arrastava há mais de 30 dias. Os clubes acordaram a situação do garoto Vitor Roque de apenas 14 anos, que deixou o Coelho no começo da temporada e acertou com a Raposa. O clube alviverde acusava os celestes de aliciamento.

Com o acordo, os direitos econômicos de Vitor Roque serão divididos em partes iguais entre os dois clubes. Esse acerto foi firmado em reunião realizada na manhã desta quarta-feira (22). O departamento de comunicação do América divulgou o fim da briga em mensagem disparada via Whatsapp.

“O América fechou um acordo com o Cruzeiro a respeito do atleta Vitor Roque. Os clubes dividirão os direitos econômicos do jogador. O acordo foi concretizado após uma reunião entre as diretorias dos dois clubes, na manhã desta quarta-feira”, publicou o América.

O Cruzeiro estava na mira do “Movimento de Formação do Futebol de Base” (MFFB), que já direcionava um movimento de isolar o clube celeste das competições promovidas por outras entidades que não às ligadas à Confederação Brasileira de Futebol (CBF).

A Raposa já estava fora da Copa Nike, da categoria sub-15, e a Taça BH de Futebol (sub-17) correu o risco de não ser realizada neste ano por causa do imbróglio entre Cruzeiro e América.

O MFFB, após reclamações efusivas do América, considerava falta de ética do Cruzeiro, que justificava-se afirmando que Vitor Roque não queria mais atuar com a camisa alviverde.