Derrotado em casa para CSA e Avaí nas duas últimas rodadas do Campeonato Brasileiro, o Fluminense segue na zona de rebaixamento, com 12 pontos, e amarga a 18ª posição da tabela. E, cair por 1 a 0 diante do time catarinense na noite desta segunda-feira, no Maracanã, a equipe completou um mês de jejum. A nova chance de voltar a vencer será neste sábado, quando enfrentará o Fortaleza, às 17 horas, na Arena Castelão, pela penúltima rodada do primeiro turno do torneio nacional.

O último triunfo da equipe carioca ocorreu no dia 3 de agosto, quando bateu o Internacional por 2 a 1, no Rio. Depois disso, foi superada pelo mesmo placar pelo Atlético-MG, em Belo Horizonte, e depois caiu por 1 a 0 diante de CSA, em resultado que provocou a demissão do técnico Fernando Diniz.

Oswaldo de Oliveira assumiu o comando do time e neste período o clube também amargou a sua eliminação nas quartas de final da Copa Sul-Americana, ocorrida após dois empates com o Corinthians (0 a 0 em São Paulo e 1 a 1 no Maracanã).

Ao projetar o próximo desafio da equipe tricolor, o comandante lembrou que o clube já superou fases ruins em outras vezes na sua história e agora precisa esfriar a cabeça para buscar uma reação. "Essa situação só tem uma coisa boa: temos que sair dela. Não é a primeira vez que isso acontece com o Fluminense e temos que ter tranquilidade para sair dela. Criamos inúmeras oportunidades de gol (na derrota para o Avaí), mas infelizmente, não tivemos concentração, capacidade de fazer o gol. Vamos trabalhar muito para reverter essa situação", analisou Oswaldo.

E o técnico exaltou a necessidade de os torcedores do Fluminense seguirem apoiando a equipe neste momento difícil. Na noite da última segunda-feira, o Maracanã recebeu um público de quase 17 mil torcedores. Antes disso, no confronto de volta das quartas de final da Copa Sul-Americana, a equipe encarou o Corinthians em um Maracanã com 57.703 pessoas.

"É fundamental o apoio do torcedor. Se o torcedor não ajudar, vai ser mais difícil sair dessa situação. Eu lembro da fidelidade da torcida do Fluminense em situações até piores, eles apoiaram, correram atrás e é isso que precisamos agora. Nossa equipe tem excelentes valores, esses caras motivados e com confiança, podem render muito melhor e essa confiança pode vir sim através do torcedor, ajudando, incentivando, pois não há dúvida que o clima que é criado interfere diretamente no campo", destacou o comandante.

Após pegar o Fortaleza, o Fluminense terá pela frente o Palmeiras, na próxima terça-feira, no Allianz Parque, em São Paulo, em jogo atrasado da 16ª rodada do Brasileirão. O time só voltará a atuar como mandante no fechamento de sua campanha no primeiro turno da competição, no dia 15 de setembro, contra o Corinthians, no estádio Mané Garrincha, em Brasília.

Leia mais:
Com 'forcinha' do pai, filho do ex-atacante Edmundo recebe chance no Figueirense
PSG anuncia a contratação por empréstimo do atacante argentino Mauro Icardi
Com Mano Menezes favorito, Palmeiras tem pressa para contratar novo técnico