Dois dias após prometer que o Cruzeiro não seria rebaixado, o técnico Vanderlei Luxemburgo admitiu que o time mineiro vive situação "complicada" no Brasileirão. Ao perder para o Santos por 1 a 0, no Mineirão, o Cruzeiro ficou apenas uma posição acima da zona de rebaixamento, com os mesmos 22 pontos de Goiás e Coritiba, ambos já dentro da zona da degola.

"O momento é complicado", afirmou Luxemburgo ao citar a queda de confiança do elenco cruzeirense após levar o gol do Santos, no domingo. "Os jogadores ficam sem confiança e precisamos ter calma, entender que essa é a realidade do Cruzeiro e temos de passar por ela."

Na avaliação do técnico, o Cruzeiro fez uma boa partida por conseguir se defender bem das investidas santistas. Contudo, foi surpreendido pelo único chute em gol do rival durante toda a partida. Ricardo Oliveira acertou bela finalização aos 42 minutos do primeiro tempo. "Neutralizamos o Santos e os contra-ataques, mas o cara acertou um chute de fora da área."

Pressionado pela torcida, Luxemburgo agradeceu o apoio do modesto público que compareceu ao Mineirão - foram apenas 8.271 pagantes. "A torcida entendeu. Se quiserem me vaiar, tudo bem. Não jogo bola, mas que deixem os jogadores jogarem. A torcida foi fantástica, ajudou o time, que tentou o tempo todo e nunca se acomodou. Não vejo falta de empenho, grupo dividido, e sim futebol criando uma instabilidade em função de uma transição. Temos que ter calma para passar por isso."

A preocupação de Luxemburgo se devia aos recentes protestos de torcedores contra as atuações do time nas últimas semanas. No sábado, o último treino do Cruzeiro antes da partida contra o Santos foi precedido de críticas e ofensas a jogadores e técnico na porta do CT. Cerca de 200 torcedores compareceram. Prevendo os protestos, o treinador já havia pedido na sexta que a torcida mostrasse maior compreensão ao momento difícil do time.