Quando a fase é boa, tudo conspira a favor. Mais do que nunca fazendo valer a máxima, Lewis Hamilton, mesmo cruzando a linha de chegada em segundo, foi declarado vencedor do GP do Canadá, neste domingo, devido a uma punição ao alemão Sebastian Vettel, que terminou à frente do britânico na sétima etapa do Mundial de Fórmula 1, mas acabou punido pelos comissários da prova devido a uma manobra considerada perigosa.

O momento decisivo ocorreu na 48.ª volta no Circuito Gilles Villeneuve, quando o piloto da Mercedes tentava se aproximar do tedesco. Vettel acabou errando na chicane, foi para a grama e quase tocou em Hamilton ao voltar à pista, mas se manteve na ponta. O lance ficou sob investigação por alguns instantes, até que os comissários decidiram impor uma sanção ao alemão de cinco segundos. Ao cruzar a linha de chegada apenas a dois de vantagem do rival, o piloto da Ferrari acabou ficando em segundo lugar.

Após a prova, inconformado com a decisão, o alemão quatro vezes campeão do mundo ainda realizou um pequeno protesto em frente à plateia próxima ao pódio ao trocar a placa de segundo lugar que estava em frente ao seu carro com a de Hamilton. Na terceira posição, e apenas se lamentando pela má estratégia de sua equipe, a Ferrari, o monegasco Charles Leclerc completou o pódio.

Indiferente à irritação do oponente e de parte do público, que o vaiou no pódio, o inglês comemorou seu quinto triunfo no ano, o sétimo no Canadá e o 78.º na carreira, e a chegada aos 162 pontos na liderança da classificação. Seu colega de escuderia, o finlandês Valtteri Bottas ocupa o segundo posto, agora com 133, seguido por Vettel, que tem 100 pontos, e o holandês Max Verstappen, da Red Bull, que chegou aos 88, em quarto lugar.

"Não era dessa maneira que eu gostaria de vencer. Eu forcei o erro, ele saiu da pista e quase batemos, mas isso é corrida", comentou Hamilton, na saída da premiação, afirmando achar justa a penalidade imposta ao adversário.

Na prova, as primeiras posições contaram com poucas alterações nas voltas iniciais em relação ao grid. Logo na largada, Hamilton empreendeu rápida disputa com Leclerc pelo segundo posto, mas manteve o segundo lugar, enquanto Vettel não era incomodado na ponta. Os três abriram larga vantagem para o quarto colocado.

Assim, até que o pentacampeão mundial da Mercedes conseguisse se aproximar do carro de número 5 da Ferrari foram necessárias mais de 40 voltas. Quando se aproximava e já abria sua asa móvel para tentar superar o alemão, houve o incidente que decidiria a prova. Após o anúncio da punição a Vettel, coube a Hamilton apenas a manutenção da desvantagem máxima de cinco segundos para assegurar os 25 pontos a mais no campeonato.

No pelotão que vinha a seguir, Bottas, que fez uma corrida apenas discreta apesar de obter a volta mais rápida e o recorde da pista (1min13s078), que antes era de Rubens Barrichello, terminou em quarto. Ele foi seguido pelo holandês Max Verstappen (Red Bull), que fez boa corrida de recuperação depois de largar em nono; a dupla da Renault, Daniel Ricciardo e Nico Hulkenberg, além de Pierre Gasly (Reed Bull), Lance Stroll (Racing Point) e Daniil Kvyat (Toro Rosso) fecharam os dez primeiros lugares.

A próxima etapa de um total de 21 provas que compõem o Mundial de Fórmula 1 em 2019 está marcada para o dia 23 de junho, data do GP da França, sediado no Circuito de Paul Ricard.

Confira a classificação final do GP do Canadá:

1) Lewis Hamilton (ING/Mercedes), a 1h29min07s084
2) Sebastian Vettel (ALE/Ferrari), a 3s658
3) Charles Leclerc (ALE/Ferrari), a 4s696
4) Valtteri Bottas (FIN/Mercedes), a 51s043
5) Max Verstappen (HOL/Red Bull), a uma volta
6) Daniel Ricciardo (AUS/Renault) a uma volta
7) Nico Hülkenberg (ALE/Renault) a uma volta
8) Pierre Gasly (FRA/Red Bull), a uma volta
9) Lance Stroll (CAN/Racing Point), a uma volta
10) Daniil Kvyat (RUS/Toro Rosso), a uma volta
11) Carlos Sainz Jr. (ESP/McLaren), a uma volta
12) Sergio Pérez (MEX/Racing Point), a uma volta
13) Antonio Giovinazzi (ITA/Alfa Romeo), a uma volta
14) Romain Grosjean (FRA/Haas), a uma volta
15) Kimi Raikkonen (FIN/Alfa Romeo), a uma volta
16) George Russell (ING/Williams), a duas voltas
17) Kevin Magnussen (DIN/Haas), a duas voltas
18) Robert Kubica (POL/Williams), a duas voltas

Abandonaram a prova:
19) Alexander Albon (TAI/Toro Rosso)
20) Lando Norris (ING/McLaren)

Leia mais:
'Tive sorte de não bater no muro', diz Vettel sobre sua punição no GP do Canadá