Um abraço fraternal do presidente Gerson Engracia ao técnico Léo Condé na porta dos vestiários do estádio Moisés Lucarelli, 45 minutos após a derrota do Botafogo para o Red Bull Brasil, por 3 a 1, selou a queda do técnico no comando do time. Tudo aconteceu nos minutos finais desta sexta-feira, após a quinta derrota do time em sete jogos pelo Campeonato Paulista.

"Infelizmente optamos pela mudança. O Condé é um grande profissional, garantiu nosso acesso à Série B do Campeonato Brasileiro, mas os resultados agora não estão entrando. A opção que sobrou é mudar o comando, porque não há tempo para se fazer uma reestruturação no elenco", justificou o presidente. Ele garantiu ainda não ter nomes para ocupar o cargo.

Com uma vitória, um empate e cinco derrotas, o Botafogo segue com quatro pontos, em último lugar do Grupo D. E também em situação delicada na classificação geral, com quatro pontos, em 14º lugar, na frente apenas de São Caetano e São Bento, com três pontos cada. Está, portanto, ameaçado pelo rebaixamento.

O mineiro Léo Condé comandou o Botafogo em 43 partidas desde o ano passado, quando assumiu a equipe na disputa da Série C do Campeonato Brasileiro. Teve grande mérito de levar o time ao acesso à Série B. No total, foram 16 vitórias, 12 empates e 15 derrotas.