Quem passou pelo Centro de Belo Horizonte nessa quinta (7) foi surpreendido com a modificada fachada da Rodoviária da capital. “Você é sempre bem-vindo à Cidade do Galo. O verdadeiro time do povo. Desde 1908”, estampavam banners ao longo de todo o terminal.

A ação de marketing atleticana, que ganhou grande repercussão nas redes socais, foi uma clara resposta à campanha iniciada pelo Cruzeiro, no mês passado, na própria Rodoviária.

Na oportunidade, o clube celeste instalou vários painéis nas colunas da área de embarque e desembarque de passageiros, incentivando o torcedor cruzeirense a aderir a um dos planos do programa de fidelidade. “Seja sócio do Time do Povo”, diz o texto.

O episódio é mais um capítulo da rivalidade nas ações de marketing e na disputa pela alcunha de “Time do Povo” que os dois rivais vêm protagonizando nos últimos meses.

Para o especialista em branding esportivo e o sócio da agência Inspire Sport Business, Eduardo Muniz, a iniciativa dos arquirrivais é positiva em todos os cenários.

“O nível dessa rivalidade é salutar para todos. Provoca o engajamento da torcida, que abraça o seu time, assim como também desperta a atenção do mercado. Esse cenário é bem positivo”, analisa o especialista, professor no curso de especialização em Marketing Champion da ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing).

Criatividade

Ele ressalta, porém, que os dois clubes precisam inovar em criatividade caso estejam dispostos a dar novos capítulos a intensa disputa extracampo.

Quando optou pela Rodoviária para divulgar sua campanha, a diretoria do Cruzeiro, que havia aderido o termo “Time do Povo”, alegou ter escolhido o local justamente devido ao perfil mais popular do público que o frequenta.

Mas a estratégia foi também uma provocação ao Atlético, que havia escolhido o Aeroporto Internacional de Confins para exibir a publicidade do programa Galo na Veia. “Seja bem-vindo à Cidade do Galo”, é o slogan da ação.

Agora, um mês depois da iniciativa cruzeirense na rodoviária, o alvinegro responde o arquirrival em um espaço muito maior na fachada do terminal. “O que o Atlético fez nesse momento foi reconhecer a ação do Cruzeiro em certa medida”, explica Muniz.

“O mesmo aconteceu com o Cruzeiro quando o Atlético fez sua campanha no aeroporto. Essa narrativa do Atlético tem uma perspectiva eficaz”, emenda o especialista.